27 / 08 / 2019

Os impactos emocionais causados pelo desemprego

Entenda o que o desemprego pode influenciar na vida do trabalhador
por
http://www.empregos.com.br

O desemprego é uma realidade presente na vida de milhões de brasileiros. De acordo com dados divulgados pelo IBGE, são mais de 13 milhões de pessoas sem ocupação profissional. Mas, o que isso representa na vida dessas pessoas? O principal efeito dessa situação é a dificuldade financeira e, em casos mais graves, a depressão causada por conta do desânimo e da baixa autoestima.

Sem emprego, o acúmulo de contas a pagar é inevitável e ainda existem desempregados que são incapazes de arcar com custos básicos de sua sobrevivência, tais como a alimentação e moradia. Diante desse cenário, o desemprego pode causar sérios impactos emocionais. Por isso, continue sua leitura e descubra o que fazer para se manter ativo e lidar com os efeitos psicológicos nessa fase. Boa leitura!

Quais são os efeitos do desemprego?

Além de impactar negativamente nas finanças das famílias, o desemprego afeta o estado físico e emocional das pessoas que estão afastadas do mercado de trabalho. Nesse contexto, é muito comum que a qualidade do sono seja afetada, bem como o surgimento de crises de ansiedade provocada pela tensão e pelo medo da faltar condições para suprir as necessidades da família. Esse quadro pode reduzir a autoestima, levar ao confinamento e ao isolamento social.

Em pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em parceria com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), problemas psicológicos como estresse, depressão e ansiedade, alcançaram números preocupantes. Segundo os dados levantados, cerca de 59% dos entrevistados dizem sentir-se deprimidos, estressados ou angustiados. A insegurança e o medo de não se realocar no mercado de trabalho atinge 68% desses indivíduos.

Entre os entrevistados, 55% alegam estar com baixa autoestima, 37% se sentem envergonhados e preferem se ausentar de reuniões sociais entre amigos e familiares por conta do desemprego. Entretanto, é possível encontrar pessoas que se mantêm positivas diante de um cenário de incertezas: 30% dos entrevistados se mostraram confiantes no futuro e esperançosos para que coisas melhores aconteçam.

A partir do estudo também é possível perceber que, além de afetar a saúde psicológica e a vida social, houve uma considerável alteração na qualidade do sono (51%) e no apetite (45%). Ainda, cerca de 16% das pessoas que participaram do estudo confessaram o uso de bebidas alcoólicas e cigarros para minimizar a ansiedade provocada pelo desemprego. Além destes, existem também aqueles que descontaram em comidas e outras compulsões.

Quais são os impactos causados na saúde do indivíduo?

Os efeitos psicológicos são diversos e exigem acompanhamento adequado por profissionais qualificados, pois quando esse cuidado é ignorado, o trabalhador pode, inclusive, vir a cometer suicídio. Entretanto, vale destacar que essa situação varia de acordo com cada indivíduo. No geral, o estresse e a tensão física têm maior tendência a ocorrer entre aqueles responsáveis pelo sustento econômico familiar.

A falta de perspectiva para encontrar um novo emprego pode causar depressão profunda naqueles que têm filhos. E além das doenças psicológicas, distúrbios físicos também são muito comuns, especialmente os relacionados à saúde do coração, como o surgimento de pressão alta e enfarte. A má alimentação, por sua vez, também é extremamente prejudicial, já que casos de diabetes e câncer estão atrelados a esse tipo de situação.

Outro aspecto que merece atenção é o estresse causado pelo desemprego. Pequenas crises de raiva são consideradas normais, levando em consideração o fato de que pessoas desempregadas estão com suas emoções a flor da pele. Porém, quanto mais demorar a recolocação, mais frequente e intenso pode se tornar esse tipo de desordem, provocando a necessidade de acompanhamento médico, a fim de evitar problemas psicológicos e sociais nos indivíduos.

Afinal, como dar a volta por cima?

A falta de esperança é um fator agravante e extremamente perigoso para quem está desempregado e enfrentando uma depressão. Por isso, é fundamental reunir forças com o objetivo de encontrar novas oportunidades no futuro e não ser pego pelo desânimo no meio do caminho. É preciso entender que este processo pode levar tempo e, por isso, não desistir após fracassar em algumas investidas.

Confira, a seguir, como se manter positivo e preparado para ocupar uma nova vaga no mercado de trabalho:

Foque no seu futuro

O primeiro passo após ser demitido é ter clareza sobre os seus objetivos de vida. Nesse momento, reflita sobre sua posição e procure definir metas que podem ser alcançadas. Dedique-se a construir um currículo atraente, qualifique-se ainda mais para sua área de atuação, agregue novas habilidades e competências ao seu perfil profissional e faça novas conexões profissionais.

Alimente pensamentos positivos

Embora seja difícil evitar pensamentos negativos quando se está desempregado, é possível controlar a saúde emocional e manter-se positivo diante desse desafio. Nessa busca, estar empenhado em cuidar da sua imagem pessoal, confiante para demonstrar preparo para ocupar um novo cargo e atualizado de modo a despertar o interesse dos recrutadores, são mudanças de hábitos simples que poderão ser muito úteis na hora de conseguir um novo emprego.

Fique atento às oportunidades

A internet é uma excelente aliada àqueles que desejam uma recolocação profissional. Na era das mídias sociais, utilizar redes como WhatsApp e LinkedIn — além de acompanhar portais e classificados — pode aumentar a chance de encontrar boas oportunidades.

Ainda que seja importante construir um bom currículo, é indispensável ter flexibilidade para atuar em outras funções. Outra dica valiosa é aproveitar as vagas temporárias, já que se mostrar determinado e eficiente pode aumentar suas chances de ser efetivado no cargo.

Construa um plano de carreira eficiente

Por fim e complementando as dicas anteriores, é fundamental construir um plano de carreira eficiente. A partir dele é possível traçar metas, estabelecer objetivos e avançar as etapas que deseja alcançar a longo prazo. Em outras palavras, o plano de carreira servirá para dar direcionamento ao seu crescimento profissional, seja para alcançar cargos de níveis superiores ou se recolocar no mercado de trabalho.

Concluindo, o desemprego é uma fase muito difícil na vida de qualquer pessoa. Os impactos psicológicos resultantes da desorganização financeira causada pela falta de emprego podem ter consequências trágicas. Entretanto, é possível se cercar de cuidados para que consiga vencer a ansiedade e a depressão, se tornando um profissional bem-sucedido — independente da sua idade ou qualificação.

O que achou das dicas que trouxemos neste texto? Caso tenha gostado deste conteúdo, o que acha de ler nosso artigo sobre plano de carreira? Descubra como traçar e direcionar os seus objetivos profissionais.

Esta matéria ajudou você?

+ 52 pessoas ajudadas

Comentarios