21 / 10 / 2015

O difícil começo

por
http://www.empregos.com.br

por Daniel Mendes*

Pesquisas recentes junto a grandes empresas e multinacionais indicam uma relação candidatos/vaga para estagiários de 400 para 1. Esse índice supera, em muito, os registrados pelas universidades paulistas nos cursos mais concorridos, em que uma vaga hoje em dia está disputada, em média, por 80 candidatos.

Apesar das projeções otimistas para os próximos anos, que indicam uma redução do nível de desemprego, no curto prazo esse cenário não deve sofrer alterações significativas. Por isso, o melhor que o recém-formado e o universitário têm a fazer é se preparar para enfrentar a concorrência, utilizando todas as ferramentas possíveis.

O primeiro passo é estar em sintonia com as novas tecnologias. Conhecimentos de informática passaram a ser indispensáveis para profissionais de todas as áreas. Ferramentas como Word e Excel foram incorporadas no cotidiano das empresas. E principalmente a Internet, que deixou de ser um complemento curricular para ganhar status de quesito eliminatório em algumas profissões.

A principal virtude da Internet é que ela acabou com as distâncias. Atualmente, imagem, voz, dados, moedas, transações e troca de informações são efetuadas on-line, em tempo real, e estão disponíveis a qualquer pessoa, de qualquer lugar, a qualquer hora. Aliás, já são muitas as empresas que deixaram de lado os tradicionais processos de recrutamento, em geral longos e caros, e passaram a adotar a seleção via Internet.

Hoje em dia, não basta apenas ter um bom currículo. Algumas posturas são essenciais para vencer a concorrência. Os recrutadores costumam contratar os candidatos com quem eles sentem-se mais confortáveis, tanto em posicionamento, conhecimento, capacitação ou adaptabilidade. O domínio de uma segunda língua também conta muitos pontos na disputa.

Um bom estágio pode abrir portas importantes, mas lembre-se, esse é só um começo. Não se cobre demais para ter o emprego perfeito na primeira empresa em que for contratado. Uma carreira é construída aos poucos, tijolo a tijolo.

Faça contatos que possibilite-lhe obter o máximo de informações sobre as empresas nas quais você gostaria de trabalhar. Utilize novos sistemas de divulgação e recrutamento via Internet. No mínimo, eles qualificam o profissional como uma pessoa em sintonia com as novas tecnologias.

Também procure constantemente manter-se atualizado. Por fim, mas não menos importante, aprenda o máximo possível, até mesmo com as situações adversas.


* Daniel Mendes é diretor-executivo do Empregos.com.br.

Esta matéria ajudou você?

Topicos:

Comentarios