28 / 08 / 2008

Em busca da grande sacada

por
http://www.empregos.com.br

Por Leila Navarro*

Quer ser um empreendedor de sucesso? Então abandone a idéia de entrar no mercado para fazer o que todo mundo já faz, por mais promissor que seja esse mercado. Você tem que se diferenciar, e, para isso, das duas, uma: ou cria algo que ainda não existe ou recria aquilo que já existe.

Uma rápida olhada no que as pessoas estão fazendo mundo afora mostra grandes sacadas. Certa vez, alguém me disse: “Precisamos ler menos e viajar mais”. Então vamos viajar – inclusive na maionese!

Na Alemanha, o filho de um empresário do setor funerário teve a idéia de transformar cinzas de corpos cremados em diamantes artificiais. Partindo da idéia de que há carbono nas cinzas e que o diamante pode ser obtido em laboratório a partir do carbono, Reneé criou uma empresa que produz lindas pedras a partir das cinzas dos entes queridos de seus clientes. Por seis mil euros, as pessoas recebem uma lembrança literalmente valiosa e eterna de seus parentes falecidos. Imagine uma mulher recebendo elogios pelo anel que carrega no dedo e responder: “Obrigada, é meu marido…”.

Nos Estados Unidos, uma empresa chamada Star Registry comercializa registros de estrelas com os nomes dos clientes. Já a Lunar Embassy vende – segure o queixo – terrenos na Lua. Em todo o mundo, há dois milhões de felizes proprietários de um lote lunar de meio hectare, comprado por menos de 20 dólares. A empresa, que se autodenomina “líder no mercado imobiliário extraterrestre”, se prepara para lançar um novo produto: lotes em Marte.

No Japão, que é uma grande fábrica de engenhos surpreendentes, uma empresa realiza o sonho dos clientes em contracenar com ídolos do cinema. Primeiro são feitas imagens do rosto da pessoa em vários ângulos e expressões. Em seguida as imagens são digitalizadas e inseridas no filme à escolha, substituindo o rosto de um ator. E o cliente leva para casa um DVD onde atua ao lado de Brad Pitt, Nicole Kidman, Sharon Stone… Já pensou uma cena romântica com George Clooney?

Por aí você vê que não há limites para novas idéias, mesmo aquelas que nascem de autênticos desvarios. Algumas movem o mundo, outras melhoram a vida das pessoas, outras enchem bolsos de dinheiro e outras surgem apenas para a nossa diversão. Quem mais se diverte, no entanto, é o empreendedor que vê o que ninguém vê, ousa fazer o que ninguém faz e diz “O que você pensa de mim é problema seu, não meu”.

Às vezes, grandes sacadas surgem da reinvenção daquilo que já existe – e um dos caminhos para reinventar é criar novos usos para as coisas. Já pensou em comer pão de queijo no palito? Pois foi essa a idéia de uma fabricante de massas alimentícias congeladas. Basta levar o “picolé” de pão de queijo diretamente do freezer para um aparelho tostador e, em sete minutos, um pão de queijo quentinho, cheiroso e crocante aparece na ponta do palito.

Outro caminho para reinventar é imaginar novos usuários para as coisas que existem. Sempre se pensou que maquiagem fosse para uso exclusivo da mulher, certo? Pois alguém percebeu que, num tempo de homens cada vez mais vaidosos e preocupados com a aparência, poderiam se criados produtos de maquiagem só para eles. Hoje, os homens que quiserem dar um trato no visual já têm brilho labial, pó compacto para uniformizar a pele da face e até lápis para destacar os olhos – tudo muito másculo, é claro. Sempre se imaginou que creche fosse para crianças, certo? Pois começam a surgir em São Paulo as primeiras creches para animais de estimação. Lá eles recebem carinho, alimentação e até aulas de adestramento enquanto os donos trabalham.

Ver o que ninguém viu antes é a chave para ser um empreendedor de sucesso. Não a única, mas com certeza a principal, pois quem enxerga a oportunidade já tem meio caminho andado para o bom negócio. Sei que você deve estar se perguntando: “E como enxergar a oportunidade? Como ver o que ninguém mais viu?”. Parece difícil, mas não é tanto. Basta estar aberto para isso.

Os olhos vêem o que estamos buscando. Se você visita um país estrangeiro em busca dos pontos turísticos que todo mundo vê, é possível que não enxergue nada além dos pontos que todo mundo vê. Mas se vai aberto para ver coisas novas, para se encantar e se surpreender, então poderá ter uma experiência extremamente rica em sua viagem.

É isso que você tem de fazer: não desejar ver nada em especial, mas estar aberto para ver tudo, ouvir tudo, perceber tudo. Então, de repente, a grande sacada para um bom negócio poderá surgir.

* Leila Navarro é palestrante comportamental e motivacional no Brasil e no exterior. Pela terceira vez consecutiva, está indicada ao prêmio Top Of Mind – Fornecedores de RH na categoria “Palestrante do Ano”. É autora de quatro livros, todos pela Editora Gente e disponbiliza conteúdo exclusivos para o autodesenvolvimento profissional e pessoal em seu portal

Esta matéria ajudou você?

Topicos:

Comentarios