31 / 01 / 2017

Como ocupar o tempo enquanto não se recoloca no mercado de trabalho?

O que você está fazendo para mudar a sua realidade?
por
http://empregos.com.br

Fala-se muito na crise política, na crise econômica, que o nível de desemprego está alto (e está!), que a taxa de juros é proibitiva, que o nível da atividade econômica está assim ou assado, que blá blá blá.

OK, tudo isso é verdade. Mas, o que você está fazendo para mudar a sua realidade? Está desempregado? Tem emprego, mas não está satisfeito? Quer ganhar mais? Almeja uma promoção? Quer empreender?

O fato objetivo é que se você respondeu afirmativamente a qualquer uma das questões acima, a conclusão é somente uma: a busca por qualificação.

Se, especificamente, está buscando uma recolocação no mercado de trabalho, recomendo fortemente que invista tempo e dinheiro em algo que te fará diferenciar-se da grande massa.

A população economicamente ativa brasileira – aquela inserida no mercado de trabalho ou que está procurando se inserir nele – é de, em números redondos, 100 milhões de pessoas. Desta, cerca de 12 milhões de pessoas estão desempregadas.

Em outras palavras, cada candidato, em linhas gerais, tem 12 milhões menos 1 concorrentes a um posto de trabalho.

Mas calma! Logicamente que uma análise minimamente superficial mostrará que a concorrência por vaga não é nesta proporção, mas que continua difícil, e ainda varia de área para área, de atividade para atividade.

No entanto, uma coisa posso afirmar: aquele que deseja uma das vagas disponíveis deverá se diferenciar, mostrar ao recrutador que pode fazer melhor, contribuir mais, agregar maior valor. E como isso será possível? Qualificando-se!

Então, por duas vezes comentei sobre a busca por qualificação. É para ser redundante mesmo, porque esta é a chave para ser o vencedor!

Com o advento da internet é muito mais fácil hoje estudar, capacitar-se e adquirir conhecimentos sobre qualquer tema. Apostilas, aulas em vídeo e outros materiais diversos estão disponíveis na grande rede, muitas vezes, gratuitamente.

Há ainda cursos, no formato online, oferecidos por instituições conceituadas no Brasil e no exterior, que também apresentam excelente conteúdo ao aluno interessado. Palestras, workshops, e-books, também estão fartamente disponíveis na internet.

Mas, além disso tudo, há os cursos tradicionais presenciais e os livros impressos que continuam a ajudar. No entanto, apesar da enorme gama de informações e conhecimentos ofertados, cabe a cada um adotar comportamentos adequados para aprender e fixar o que teve acesso.

Uma das recomendações mais comuns que apresento aos meus clientes e alunos é “senta e estuda”.

Está com tempo para redes sociais, bate-papos virtuais, bisbilhotar a vida daquele colega que postou uma selfie? Por que não investir parte desse tempo improdutivo para seu bem? Está no transporte público, porque não assistir a um vídeo de 5 minutos com dicas de comportamentos? Está na recepção aguardando para ser atendido por um médico, porque não ler um artigo sobre um tema de seu interesse?

A questão reside fundamentalmente na postura que cada um adota ante ao momento adverso. Se enxergar que está difícil, que tem muita gente desempregada, que é difícil pra você, você está certo.

Se, por outro lado, concluir que há menos vagas disponíveis, mas que elas existem e uma pode ser sua; que apesar de haver gente mais bem preparada que você, também há aqueles menos qualificados; que, se está difícil para você, também está para muita gente; que você acaba de ganhar uma vantagem significativa em relação a muita gente: perceber que seu comportamento ante à adversidade é que vai determinar seu sucesso ou não.

Se você pensar que é um derrotado, você será derrotado. Particularmente, prefiro adotar a conduta mental indicada por Napoleon Hill em seu texto Filosofia do Sucesso que diz:

“Mais cedo ou mais tarde, quem cativa a vitória é aquele que crê plenamente, Eu conseguirei!”.

Então, que postura você quer adotar nesse momento em que busca se recolocar: coitadinho ou de, apesar dos desafios, levantar, sacodir a poeira, dar a volta por cima, qualificar-se e conquistar uma das vagas?

A vida é sua, a escolha também!

Sucesso e prosperidade em 2017!

colunista alexandre prado

Esta matéria ajudou você?

+ 57 pessoas ajudadas

Comentarios