01 / 03 / 2017

Carreira x crise

“Em tempos de crise, sempre haverá duas opções: esperar até que o vento volte a soprar ou remar”

Já virou quase um mantra: “as coisas estão difíceis, nesses tempos de crise”. Pois é, e, pelo visto, as coisas não estão muito promissoras para este ano também.

Segundo analistas, o desemprego – que atinge, hoje, 11,8% da população ocupada e aflige 12 milhões de brasileiros – deve continuar a crescer em 2017.  Mas, por incrível que pareça, são nesses momentos que surgem as oportunidades de mudanças e crescimento.

Se você está em uma empresa que encontrou oportunidades, diante do atual cenário, ótimo! Aproveite para continuar seu trabalho com o privilégio de estar num ambiente saudável e harmonioso, com clima de prosperidade para todos que ali estão.

Mas, se você faz parte da maioria, deve reconhecer o cenário que descreverei a seguir: alta pressão no trabalho, trabalho dobrado – já que, muitas vezes, é preciso fazer por dois -, questionamentos sobre sua capacidade, pois tudo indica que há menos motivação e entusiasmo por parte dos profissionais do que perspectivas de crescimento profissional.

Com tentativas frustradas de vendas ou captação de novos clientes, os profissionais passaram a ter receio diante de qualquer pedido de conversa com o gestor, por medo de ser demitido a qualquer momento.

A questão é: como enfrentar mais um ano assim?

Em tempos de crise, sempre haverá duas opções: esperar até que o vento volte a soprar ou remar. Na segunda opção, quando o vento voltar, com certeza, você estará bem mais à frente de quem decidiu paralisar. Veja algumas dicas para continuar remando até o vento voltar:

Tenha atitude positiva
Realmente, manter o ânimo não é fácil. Enfrentar más notícias, durante longos períodos pode ser desanimador e, por isso, há um grande risco de entrar na inércia e decidir de esperar, passivamente, as coisas melhorarem.

Mas, não se deixe levar pela inércia! Procure mudar o seu ponto de vista sobre o problema. O problema existe, mas não tomar uma atitude sobre ele não contribuirá em nada para resolvê-lo.

A solução pode estar nas suas mãos, mas você é responsável por tornar esta fase melhor pra você e para o seu dia a dia. Identifique pequenas mudanças que possa fazer na sua rotina de trabalho e na sua vida, para que possa encarar tudo com mais positividade.

Inove
Cenários difíceis pedem por pensamento fora da caixa. Pensar em soluções e em novas maneiras de agir será a melhor saída. Até mesmo porque você terá que ter criatividade para fazer mais com menos e trabalhar com mais eficiência.

As empresas, certamente, estão mais atentas para quem consegue sair da mesmice e identificar as oportunidades. Tenha claro o que esperam de você, qual a perspectiva da empresa e deposite o seu pensamento e a sua energia nisso.

Continue se desenvolvendo
Se desenvolver será benéfico para ajudar a empresa, mas principalmente, para ajudar a você mesmo. Não se esqueça que os problemas são fases, e fases passam. Lá na frente (e pode ser num futuro bem próximo) você poderá se ver numa nova entrevista de emprego e dizer que, neste momento, não fez nada para investir na sua carreira. Isso, com certeza, não será positivo.

O desenvolvimento profissional está relacionado a busca de mais conhecimento para se sentir, cada vez mais preparado. Além disso, tem a ver com investir em autoconhecimento para se fortalecer e identificar o que pode melhorar para lidar com um período tão difícil.

Pratique a inteligência emocional
Provavelmente, não é a primeira e não será a última vez que passaremos por uma crise. Assim é na nossa vida. Sempre teremos altos e baixos. E todo processo de transformação passa por uma desordem, uma desconstrução.

Assim somos nós, quando passamos por um problema e, no final, nos sentimos mais fortes do que nunca. Pense que é como uma reforma de casa: para que o ambiente fique ainda mais bonito, moderno e funcional é preciso passar pelo caos da obra.

Ter essa inteligência vai fazer você ver que tudo tem o lado bom e que não é o fim do mundo.

Tenha calma
Procure controlar a ansiedade. Evite não se estressar para que não perca o seu equilíbrio e continue agindo com inteligência e sabedoria.

Claro que não somos de ferro, mas, quando perceber que está ficando nervoso respire fundo, beba um copo d’agua. Crie mecanismos, vivendo um dia após o outro e policiando seus pensamentos.

Ao invés de pensar que seu chefe pode te demitir naquele dia, foque seu pensamento no fato de estar empregado.

Assuma uma postura colaborativa
Evite não entrar em clima de competição, apenas porque está com medo de ser demitido, pois isso só piorará o clima. Nessas horas, quem, além de fazer um bom trabalho, for um agente de união entre as equipes e proporcionar um clima favorável, será identificado como um recurso importante na empresa.

Cuide do seu bem-estar
Não se deixe consumir pelo dia a dia de esforço e estresse. Cuide de sua saúde e de sua vida afetiva. Além do trabalho, sua vida é composta por outras áreas que são fundamentais para seu bem-estar, como: família, saúde física, hobbies, relacionamentos e espiritualidade.

Cuide de cada área com equilíbrio para que você se mantenha fortalecido. Além disso, distribuir sua energia para outras áreas, além da profissional, fará você não se envolver tanto com os problemas da empresa e da economia do nosso país.

Se preocupar demasiadamente poderá fazer você ter falta de sono e se estressar muito, o que é totalmente prejudicial à saúde. É comprovado que nosso corpo leva 1 hora para se recompor a cada 1 segundo de estresse vivido por nós.

Mantenha-se sonhando
Não permita que os problemas do país e da empresa que você trabalha atrapalhem seus sonhos. Continue sonhando com a promoção que deseja, com a viagem que quer fazer, com a casa que quer comprar.

São esses sonhos que lhe motivarão positivamente para continuar. Nossa carreira só tem sentido se estiver conectada com nossos sonhos e propósito de vida.

Lembre-se, a crise é apenas uma fase. Vai passar! E fará toda a diferença se durante esse turbilhão você tiver remado para estar mais próximo do que quer.

rodape Lina Amaral

Esta matéria ajudou você?

+ 152 pessoas ajudadas

Comentarios