23 / 10 / 2015

O que é um profissional competente?

por
http://www.empregos.com.br

por Juliana Ricci

Com essa pergunta, cuja resposta é de interesse de todas as pessoas que buscam desenvolver a própria carreira profissional, Eugênio Mussak, médico neurofisiologista e consultor empresarial abriu sua palestra ontem, dia 28, segundo dia da Career Fair – Feira de Carreira organizada pela revista Você S. A., da editora Abril.

Por meio de 9 itens principais, Eugênio mostrou que a competência, na verdade, é a soma de várias características físicas e emocionais dos seres humanos, que quando harmonizadas, levam ao sucesso profissional.

Determinação

O primeiro dos itens que compõem o conjunto de fatores que levam à excelência é a determinação. Para o palestrante, definir objetivos – a partir da reflexão, da percepção e da observação dos fatos – é fundamental para mantermo-nos determinados a chegar a algum lugar. Por isso, a dica é: estabeleça metas e persiga-as. Quem não tem objetivos na vida não consegue direcioná-la, não vê sentido nas coisas.

Eugênio apresentou duas pesquisas para ilustrar essa afirmação. A primeira delas, realizada nos Estados Unidos junto a idosos extremamente saudáveis, mostrou que todos eles estavam naquelas condições porque tinham metas determinadas.

Já uma outra, que lançou a um grupo de jovens a pergunta “qual personalidade dos seguintes esportes mais o atrai?”, apresentou os seguintes resultados:

  • Determinação da natação: 55%
  • Criatividade do futebol: 23%
  • Planejamento do golfe: 12%
  • Risco do automobilismo: 7%
  • Glamour do polo: 3%

Motivação

A definição dessa palavra, que Eugênio Mussak considera o segundo motor que nos impulsiona para a realização pessoal e profissional, é: conjunto de fatores, psicológicos, conscientes ou não, de ordem fisiológica, afetiva ou intelectual, os quais agem entre si e determinam a conduta do indivíduo.

Já o palestrante prefere uma outra definição, onde está o segredo do processo da motivação: é o motivo que leva alguém a praticar uma ação ou vontade gerada pelo pensamento. Sim, motivação é algo gerado pelo nosso pensamento, e não algo inerente ao ser humano. Nossos desejos intrínsecos são comer, descansar e fazer sexo. Fora isso, tudo o que nos acontece é fruto da força das idéias e do pensamento. Por isso, cuidar da qualidade do que pensamos, orientar nossas idéias para coisas positivas e desafiadoras é fundamental para que tenhamos motivação para realizar coisas diferentes.

Mas, e a motivação externa? Segundo Eugênio Mussak, é possível sentir motivação a partir de um estímulo externo, desde que estejamos motivados internamente. Isso porque nós mesmos somos os responsáveis por criar um ambiente motivador e contagiar nossos colegas.

Preparo

Para explicar a importância de estarmos bem preparados, o médico incluiu em sua palestra dados da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI, da UNESCO. Segundo a entidade, um bom preparo envolve:

  • Aprender a conhecer – buscar conhecimento, estudar, aumentar o número de informações sobre as coisas
  • Aprender a fazer – habilidade em realizar, a partir dos conhecimentos adquiridos. Unir teoria e prática
  • Aprender a conviver – este item é fundamental para os seres humanos, já que sua vantagem competitiva é a linguagem e aprender a conviver em grupo aprimora a nossa linguagem
  • Aprender a ser – aqui entram itens como integridade, honestidade e bom caráter

Cuidados

De acordo com o neurofisiologista Eugênio Mussak, um dos fatores mais importantes da competência é a boa saúde. Infelizmente, apesar de muitos não perceberem, a maior parte das pessoas está no estágio intermediário entre saúde e doença. Nesse nível, elas não apresentam uma doença definida, mas apresentam sintomas físicos ou psicológicos de que algo não está bem. Isso acontece porque um ou mais fatores pró-saúde estão sendo “maltratados”. Veja quais são eles:

  • Alimentação
  • Exercício
  • Sono
  • Stress
  • Autoestima
  • Objetivos
  • Crenças

Auto-confiança

Para termos auto-confiança, precisamos de auto-conhecimento. Isso porque só confiamos em quem conhecemos, e assim só podemos confiar em nós mesmos se nos conhecermos a ponto de saber nossa capacidade, nossos limites, e se podemos cumprir aquilo com que estamos comprometidos.

Portanto, para o palestrante, precisamos nos conhecer profundamente – seja por meio da auto-análise, da análise de um profissional ou da simples troca de idéias com outras pessoas. Com isso, poderemos constantemente nos dar motivos para confiarmos em nós mesmos.

Aptidão

Aptidão, outro fator diretamente ligado ao sucesso profissional, pode ser a disposição inata para praticar algo ou a capacidade de desenvolver a habilidade necessária para realizar uma atividade. Assim, segundo Eugênio Mussak, tanto o dom como o talento adquirido a partir do treinamento podem levar você a ser ótimo naquilo que faz.

O fato é que você não pode aumentar o tamanho do seu cérebro ou o número de neurônios, mas pode fazer crescer a quantidade de sinapses (ligações) entre os seus neurônios e assim aumentar a sua inteligência. Então, a dica para desenvolver sua aptidão é: escolha o que quer fazer, e se já não for um gênio, treine muito, estude, exercite, aumente suas conexões cerebrais e transforme-se num expert.

Competência

Para explicar o fator “competência”, o consultor utilizou duas fórmulas:

C= R/ T+E, que diz que Competência é igual ao resultado dividido pelo tempo somado aos recursos utilizados

C=S x P x Q, que diz que Competência é igual ao saber, multiplicado pelo poder e pelo querer.

Portanto, competente é quem obtém resultados no menor tempo e com a menor quantidade de recursos possível. Competente também é quem multiplica conhecimento pela habilidade de realizar e pela atitude, que é o “querer fazer” algo.

Eugênio Mussak ressaltou em sua palestra que a competência do profissional deve estar de acordo com a plataforma – necessidades, cultura, clima – da corporação, para que as partes se entendam. Muitas vezes, o profissional é extremamente competente, mas não para aquela determinada empresa.

Comunicação

Você quer se dar bem como profissional? Então aprenda a se comunicar! Como vivemos em grupo, sem uma boa comunicação, sem fazer com que os outros nos entendam, não chegamos a lugar algum. Além disso, a linguagem estimula o pensamento (e vice-versa), portanto é preciso praticar.

Para quem acha que a comunicação só depende das palavras, uma novidade: apenas 8% do processo de comunicação se dá por meio delas. A modulação da voz é responsável por 42% da eficiência do processo, já que mesmo usando as palavras certas, é preciso utilizar a maneira correta para ser compreendido. E, por fim, vem a comunicação não-verbal, que inclui gestos e postura corporal, responsável por 50% da nossa comunicação.

A lição? O poder de expressão pode construir ou destruir um relacionamento, um negócio, um onjetivo. Fique atento ao se comunicar!

Emoção

Por fim, a emoção aparece como o último fator responsável pelo perfil do profissional competente. Segundo Eugênio Mussak, o que precisamos saber sobre ela é:

  • que vem do cérebro, e não do coração. O sistema límbico é a parte do cérebro responsável pelas emoções e pelos sentimentos
  • é mais fácil para o ser humano ter emoções do que pensamentos, já que o sistema límbico é muito mais antigo do que o córtex – área responsável pela razão
  • as nossas decisões, profissionais ou pessoais, devem ser racionais, porque o sistema límbico só busca o prazer. A razão sabe o momento em que a emoção deve atuar, mas o contrário não acontece

Para encerrar a palestra “O que é um profissional competente”, o consultor Eugênio Mussak apresentou o perfil profissional ideal, segundo a Comissão Internacional sobre o trabalho para o século XXI, da UNESCO:

  • Flexível e não especialista demais
  • Mais criatividade do que informação
  • Ser empreendedor
  • Estudar durante toda a vida
  • Assumir responsabilidades
  • Adquirir habilidades sociais e capacidade de expressão
  • Adquirir intimidade com novas tecnologias

Esta matéria ajudou você?

+ 41 pessoas ajudadas
Topicos:

Comentarios