15 / 07 / 2016

Este modelo de pensamento reverte as crises a seu favor

Saiba como trabalhar melhor sob pressão e melhorar o seu comportamento em situações inesperadas no ambiente de trabalho
por
http://www.empregos.com.br

O que diferencia um líder? Na maioria das vezes, o que está por trás das chamadas ‘habilidades de liderança’ são formas específicas de pensar e de agir; um jeito próprio de ver o mundo e atuar sobre ele.

Por isso mesmo, o comportamento de liderança pode ser treinado e aprendido a partir de certos ‘modelos de pensamento’, ou dicas precisas sobre como encarar os fatos do dia a dia – seja no trabalho ou na vida pessoal.

Uma das ferramentas úteis para esse propósito é o conceito de antifrágil. Uma boa maneira para você entender o termo, é partindo da definição de fragilidade – que quebra, rompe ou deforma quando submetido a pressão de um agente externo.

O antifrágil, oposto de frágil, é algo que melhora quando está diante de uma situação inesperada. O conceito foi criado pelo autor libanês Nassim Nicholas Taleb no livro Antifrágil: coisas que se beneficiam com o caos, publicado em 2012.

Essa lógica é interessante pois rompe com o modelo de que o oposto de fragilidade está em força ou resistência, características de quem é capaz de suportar situações extremas sem se alterar.

Saiba como trabalhar melhor sob pressão e melhorar o seu comportamento em situações inesperadas no ambiente de trabalho

Ao buscar somente essas duas características, você não irá melhorar com o caos, permanecendo no mesmo estado em que está. No argumento de Taleb, dizer que algo resistente é o oposto de frágil é como dizer que neutro é o oposto de negativo.

Se você optar pelo caminho do antifrágil, irá encarar os eventos adversos de frente e se aperfeiçoará diante deles. Dessa forma, para crescer pessoal e profissionalmente, nós NÃO devemos evitar o caos.

Isso mesmo: se esquivar e se proteger de ataques ou mudanças bruscas pode parecer um caminho seguro, mas não é a melhor opção para o seu desenvolvimento. Se você fizer isso, vai acabar camuflando as suas vulnerabilidades, quando o verdadeiro líder precisa reconhecê-las e trabalhar para aperfeiçoá-las.

Assim, adiar uma crise não é uma boa ideia.  Sem a aleatoriedade, caos, desordem e estresse, o antifrágil não tem como aprender, reforçar-se, melhorar e evoluir. Segundo o autor, há muitas coisas que vieram do estresse… Porém, damos mais atenção ao já conhecido estresse pós-traumático e falamos pouco sobre o crescimento pós-traumático.

Abaixo, você confere 5 utilizações do antifrágil no dia a dia de um líder:

• Não deixe de agir por temer a ocorrência de erros com riscos menores (você aprenderá com eles caso se confirmem).
• Dê e receba feedbacks a sua equipe, de maneira clara e honesta, ajudando a criar um time antifrágil.
• Aplique o conhecimento existente e estude sobre crises parecidas com as quais você está passando para saber como agir.
• Desconfie quando tudo caminha bem e fácil demais (“quando a esmola é demais…”)
• Não adie os seus problemas. Encare-os e leve o aprendizado consigo nos futuros projetos.

Confira também: As 5 competências da Inteligência Emocional

Esta matéria ajudou você?

+ 25 pessoas ajudadas

Comentarios