30 / 07 / 2015

Defeitos e qualidades: como não dar uma resposta clichê na entrevista

Todo candidato a uma vaga de emprego já ouviu a pergunta “qual seu principal defeito e sua principal qualidade?” Para se preparar e responder adequadamente, leia nosso artigo!
por
http://www.empregos.com.br

Você, provavelmente, já precisou responder a duas perguntinhas clássicas em entrevistas: quais são seus principais defeitos e qualidades? Para não errar, acabamos recorrendo às respostas clichês, como “sou perfeccionista e exigente demais”. Pensando nisso, vamos explicar no conteúdo a seguir quais defeitos e qualidades falar em uma entrevista, sem afetar suas chances de conquistar a vaga.

Vale lembrar que os recrutadores já estão cansados de ouvir respostas óbvias e, claro, há coisas que não podem ser ditas. Esse é o momento perfeito para que você faça um marketing pessoal, já que uma frase diferente do padrão surpreende e soma pontos ao seu favor.

Para que você não seja pego de surpresa, leia as dicas que selecionamos e prepare-se!

Quais são os primeiros passos?

Tudo começa com uma autoanálise profunda e sincera. Faça em casa e, se possível, com antecedência, uma lista com todos os seus defeitos e qualidades nos variados âmbitos de sua vida. É importante pensar de uma forma diferente para melhorar os seus resultados e separar seus pontos fortes e aqueles a serem desenvolvidos.

O recrutador sabe que você é humano e, como todo mundo, tem suas fraquezas. Mas não há nada que não possa ser aprimorado e usado de forma positiva. Tenha isso em mente na hora de elaborar sua relação.

Nos pontos fortes, liste suas características positivas. Não tenha medo de parecer prepotente: apenas levante todas as questões com sinceridade. Uma dica é demonstrar com algum exemplo prático suas qualidades.

Em vez de apenas dizer ao selecionador “sou exigente”, você pode falar “sempre reviso minhas tarefas. No último projeto que desenvolvi, todos elogiaram o cuidado e a perfeição de meus relatórios”. Dessa forma, é possível fugir de respostas vazias e valorizar sua entrevista com casos verdadeiros.

Como fazer na hora de encarar os defeitos?

Depois, é hora de colocar no papel os pontos que você precisa desenvolver. Lembre-se de que ninguém é perfeito e todos têm comportamentos a serem aprimorados. Com isso em mente, para acertar na resposta, explique o que você tem feito para melhorar seus defeitos.

No lugar de “sou muito impaciente”, você pode explicar: “sabendo que sou impaciente, busquei aulas de yoga para trabalhar essa característica”, por exemplo. Uma simples mudança na forma de responder demonstra que a pessoa tem maturidade e autoconhecimento. Ponto positivo para você!

Vale lembrar que, às vezes, ser sincero demais também pode queimar seu filme. Há algumas características que não acrescentam nada em sua descrição profissional e podem impedir que você seja escolhido. Caso se trate de algo que realmente atrapalhe sua trajetória na carreira, que tal rever e melhorar esse aspecto de vez?

Veja abaixo alguns defeitos que nunca devem ser citados em uma entrevista:

  • sou irresponsável;
  • sou inseguro;
  • estou sempre atrasado;
  • não gosto que me digam o que tenho de fazer;
  • sou estressado e perco o controle facilmente;
  • sou teimoso e não deixo passar nada;
  • sou inflexível.

Quais defeitos falar em uma entrevista?

É claro que você não pode chegar à entrevista dizendo que não tem defeitos, mas mencioná-los da maneira correta o ajudará até a contar pontos na hora da seleção. Tudo depende da abordagem e da forma com que o candidato explica suas fraquezas ao recrutador.

Focar naquilo que você está fazendo para melhorar é o caminho, como mencionamos anteriormente. A seguir, vamos mostrar alguns defeitos que podem ser citados e como abordá-los na conversa.

Nervosismo

Assumir que determinadas situações podem provocar nervosismo em você é humano e coerente. Possivelmente, o próprio entrevistador se identificará.

Demostrar vulnerabilidade não é fraqueza — pelo contrário: mostra como a pessoa tem coragem de se expor, se conhece e é madura para encarar o que pode ser modificado. Comentar as táticas e os macetes que você usa para dispersar o nervosismo cria ainda mais pontos de empatia entre entrevistado e recrutador.

Medo de falar em público

Na mesma linha do item anterior, demonstrar um pouco de vulnerabilidade humaniza a entrevista e demonstra sua capacidade de se encarar. Ter problemas na hora de falar em público não é necessariamente um defeito, mas sim uma particularidade. Se a atividade para a qual você está se candidatando envolve essa função, é bom ter uma conversa franca no momento da entrevista.

Comente como você acha importante melhorar esse aspecto, já que a boa oratória, com desinibição e uma dicção clara, importa para o trabalho a ser desempenhado. Sem perder o bom humor e a leveza, indique que esse processo não é dos mais naturais para você, mas que isso não significa que não esteja disposto e tenha formas de se preparar. Dessa forma, a conversa vai se encaminhando de modo favorável a você.

Timidez

Por fim, assumir que é tímido é outro exemplo de defeito que não atrapalha a performance de um candidato na entrevista de emprego. Se a função para a qual você está se candidatando envolve trabalhos internos e tarefas que exijam concentração, contar com um funcionário que admite timidez pode ser, inclusive, vantajoso.

Caso o trabalho tenha a ver com comunicação, relacionamento ou atendimento (ou seja: necessite de um comportamento expansivo), basta explicar que você deixa a timidez de lado na hora de atuar como profissional. Isso é totalmente plausível.

Quais qualidades devem ser mencionadas?

O recrutador também vai querer conhecer as suas qualidades. Mas você sabe como comentá-las sem parecer esnobe, exagerado ou irreal? É preciso encontrar o equilíbrio para fazer a sua propaganda pessoal — afinal de contas, entrevistas de emprego são também para isso — sem pesar no tom.

Falar sobre características como perfeccionismo e organização é um clichê, então pondere bastante sobre como mencionar itens do tipo na entrevista. Procure ressaltar os pontos positivos do seu relacionamento com outras pessoas e a sua produtividade. Tais traços costumam ser positivos em qualquer tarefa profissional.

Explicar que você tem a capacidade de se manter concentrado por muito tempo é algo interessantíssimo, pois demonstra que consegue se dedicar ao trabalho com afinco, por exemplo. Vale lembrar que, hoje em dia, é difícil sustentar a concentração em um mundo tão conectado.

É claro que sua formação e suas competências profissionais também contam como pontos fortes. Se você fala outros idiomas, que tal mencionar isso, relatando que tem facilidade em entender novas culturas e aprender? Entre suas experiências prévias de outros trabalhos, pesque algumas que possam demonstrar características positivas, como liderança, criatividade e iniciativa.

Então, contextualize as suas qualidades com histórias reais. Além de mostrar que você tem experiência, essa atitude vai evidenciar como é possível contribuir com a empresa a partir delas.

Por que o preparo e a franqueza são importantes?

Agora que você já sabe como lidar da melhor forma com as perguntas tão temidas das entrevistas de emprego, é fundamental que se lembre da importância de um bom preparo para esse momento. Não deixe de manter a calma e falar com franqueza sobre tudo aquilo que for questionado.

Os recrutadores estão preparados para detectar inconsistências na fala dos candidatos. Por isso, nem considere a possibilidade de mentir, aumentar ou dissimular qualquer que seja a informação. Se colocar informações falsas no currículo já pega mal, fazer isso na frente dos recrutadores é pior ainda.

Portanto, antes de qualquer entrevista de emprego, é preciso dedicar um tempo à preparação de suas respostas. A autoanálise, que já citamos, é um bom exemplo, pois ajuda a verificar o que deve ser ressaltado na entrevista e aquelas características que podem ficar de lado em sua autodescrição.

Em busca da diferenciação

O importante é chegar à entrevista consciente de que respostas vagas e falsas só diminuirão as suas chances de conquistar a vaga. Pense que, até chegar em você, os entrevistadores já conversaram com diversos — por vezes, quase centenas — de candidatos.

Como se diferenciar em um mercado tão competitivo? A resposta é: buscando o que há de melhor na sua trajetória e na sua personalidade para oferecer ao futuro empregador. Se você for o perfil adequado, com certeza conseguirá o cargo.

Parece difícil, mas é um desafio interessante: candidatos que se preparam para entrevistas aumentam suas chances. Saber sobre quais defeitos falar em uma entrevista e que qualidades merecem ser citadas para conquistar a vaga é decisivo.

Se você quer saber mais sobre empregos, mercado de trabalho e qualificação, que tal assinar a nossa newsletter? Assim, não perderá nenhum conteúdo especial que publicamos!

Esta matéria ajudou você?

+ 235 pessoas ajudadas

Comentarios