29 / 03 / 2008

Como vencer num mundo cada vez mais competitivo

por
http://www.empregos.com.br

por Leila Navarro *

Há pessoas e empresas que ficam no pingue-pongue de sua guerra competitiva e esquecem do que é realmente importante: o cliente e a missão. Quer um conselho? Não seja competitivo, seja amigo, mas tenha diferencial, invista nele, pois é ele que vai garantir o seu sucesso.

O clima de guerra cria um estresse nada produtivo. Sentir-se sempre ameaçado não é vida, é desespero. Não estou falando aqui em ser diferente por ser diferente, mas em atingir a alma do seu talento! É necessário ter essência em seus objetivos, ter lucidez em suas metas e ter realidade em seus sonhos. É acordar toda manhã e ao se olhar no espelho reconhecer nele aquela pessoa que você realmente gostaria de ser (aliás, experimente fazer isso toda manhã).

Pare para pensar e observe que aquele que está na frente não se preocupa com quem está atrás. Sabe por quê? Porque ele sabe que tem que atingir a sua meta, tem que melhorar cada vez mais, criar e surpreender a cada dia para se adequar e conseguir chegar aonde deseja.

Quem está na frente é um grande insatisfeito, não porque o concorrente está chegando, mas porque está sempre querendo surpreender o seu cliente e os seus colaboradores. Surpreender é a mágica!

Veja o caso da Tam – é tanta inovação que nem dá para copiar. Na verdade, quando um concorrente copia o que você fez ele está te aplaudindo, e isso quer dizer que você já está à frente dele. Não adianta fugir, pois hoje inovar é como comer…você ainda come todos os dias?

Não tenha à sua frente só o concorrente, mas sim seu objetivo, o cliente. Seja mais ou menos como o SBT: “na nossa frente só você”. Quando o seu negócio é satisfazer o cliente você fica mais criativo.

Pesquisa é outra palavra mágica, não se canse de pesquisar, perguntar e se capacitar. Faça da sua vida um aprendizado contínuo e mesmo quando estiver dormindo, aprenda com seus sonhos, pois o autoconhecimento é uma grande ferramenta.

Guarde com você algumas palavras desse texto – como diferencial, inovação e pesquisa. Elas são capazes de separar aqueles que acreditam valer a pena entrar nessa guerra de competitividade e os que, infelizmente, acreditam que não vale a pena competir.

* Leila Navarro é colunista do Empregos.com.br, conferencista internacional e autora dos livros “Talento para ser feliz” e “Obrigado, equipe” (Ed. Gente).

Esta matéria ajudou você?

Topicos:

Comentarios