25 / 03 / 2016

Como ser político no trabalho?

Em meio às reviravoltas na política nacional, vale revisar um questionamento antigo: até que ponto o poder pode ser usado para avançar na carreira?
por
http://www.empregos.com.br

A constante exposição a escândalos de corrupção no governo e nas empresas contribuiu para que os brasileiros gerassem certa antipatia pelo tema política. No entanto, é necessário compreender que nem toda mobilização estratégica ligada ao poder é, necessariamente, antiética.

Essa diferenciação é baseada nos conceitos de política e politicagem. Enquanto o primeiro termo é próprio das relações humanas e seus códigos de conduta, a politicagem diz respeito ao uso desonesto de informações, contatos e situações no ambiente de trabalho para conseguir vantagens pessoais.

Ameaçar, manipular e constranger os colegas estão entre as ações do profissional que não sabe fazer política no ambiente de trabalho, atropelando a ética e a responsabilidade.

Como ser poltico no trabalho

Como ser um bom jogador político sem cair na politicagem?
Fazer política no ambiente profissional significa alinhar os interesses pessoais aos coletivos. Você pode se empenhar em movimentos que tragam visibilidade para sua carreira, desde que sua estratégia não prejudique nenhum colega, chefe ou subordinados.

Identifique e se alie a pessoas influentes e formadores de opinião dentro da empresa. Essas associações não devem ser mediadas pela falsidade, visando somente a sua ascensão. Do contrário, você será visto como o puxa-saco ou o egocêntrico da equipe, e a tática pode sair o oposto do que era esperado.

Seja transparente
A transparência é o ponto fundamental. A agenda política de um profissional deve estar sempre “em cima da mesa”: suas intenções precisam estar claras para todos os envolvidos em uma negociação. O que as pessoas podem ganhar com suas propostas? Se todos pensarem dessa forma, as alianças estratégicas deixam de ser uma competição pelo poder e tornam-se uma troca de benefícios honesta.

Ainda assim, um bom jogador político não comete “sincericídios”. Embora a transparência seja fundamental, é preciso ter habilidades sofisticadas de comunicação e negociação para não perder oportunidades. Não à toa, profissionais hábeis em inteligência emocional costumam ser os melhores “políticos” do escritório.

Esta matéria ajudou você?

+ 29 pessoas ajudadas
Fonte: Exame

Comentarios