15 / 05 / 2017

Como saber se está apto para exercer a liderança na ausência do chefe?

A única forma de saber se está pronto, é só possui uma das 4 competências básicas da liderança. Saiba como desenvolvê-las
por
http://empregos.com.br

Talvez um profissional nunca tenha a certeza absoluta se está 100% apto a exercer um cargo de liderança, exceto se for lá e o fizer.

O que quero dizer é que com a dinâmica do mercado, nem sempre estamos plenamente prontos – ou nos sentimos como tal – para assumir um novo desafio no mundo corporativo.

E para ter a oportunidade de subir um degrau – ainda que somente na ausência do chefe, ou seja, temporariamente – o profissional deve buscar se preparar e adquirir conhecimentos técnicos e habilidades comportamentais que o capacitem para tal.

Para começar a perceber se pode subir mais um nível, saiba que precisa ter quatro competências básicas: capacidade de entregar, capacidade de relacionamento, capacidade de aparecer e capacidade de fazer escolhas corretas.

Saber o qual grau está em cada uma delas – até para poder depois aprimorar-se – não é uma tarefa trivial e algumas conclusões somente surgirão com um trabalho individual. Aqui vão algumas dicas:

Você sabe como aprimorar as competências necessárias para ser um líder?

 Autoconhecimento – é fundamental conhecer suas habilidades, os recursos técnicos que possui (ou não!), os pontos fortes e aqueles nem tanto, o que gosta ou não, entre outros. Como fazer isso? Há muitas formas e cada um deve achar a maneira que mais lhe convier.

Análise crítica e objetiva, meditação, terapia e coaching são algumas das ferramentas que podem ser úteis neste contexto. Mas, olhar para dentro e avaliar os impactos que geram fora é um bom início!

Escolhas – uma vez que se conhece um pouco mais analisando as próprias características, habilidades e aptidões, chega a hora de fazer escolhas. Ter em mente que para cada escolha existe uma renúncia é um meio pragmático de lidar com as opções e cenários.

Portanto, avaliar os prós e contras, as oportunidades escolhidas e aquelas que deixou ir, são importantes para este aprendizado.

Resiliência – sabia que ninguém acerta sempre? Nem no mundo corporativo? Sabia que o chefe erra? A questão é que errar faz parte do processo de aprendizado e o desafio é acertar mais do que errar.

Assim, quando um erro ocorrer – e vão ocorrer vários – o profissional deve estar preparado para levantar, sacudir a poeira, dar a volta por cima e seguir em frente. Bons líderes fazem isso!

Imagem – compreender seu papel na organização, bem como o de outras pessoas, assim como o impacto que o profissional causa nos colegas é importante para situar-se. E ajustar, se for o caso!

Saber qual a percepção que os colegas têm do profissional é importante. A imagem que passa é de credibilidade, passividade, proatividade, confiança, insegurança? Se alguma destas incomodar, então é hora de trabalhar para reformar como os outros o veem.

Pode nem importar tanto para o profissional em termos pessoais, mas no contexto corporativo é importante como os outros o percebem.

Suporte – ninguém nasce sabendo tudo. Buscar apoio faz parte do processo de aprimoramento. E

m quem você pode confiar para ter conversas pessoais profissionais? Um chefe antigo? Um amigo mais experiente? Um professor, mentor, conselheiro ou coach?

Pedir apoio quando se vê sem saída não é sinal de fraqueza. Ao contrário, demonstra que não permitiu ao ego tomar a frente da situação.

Motivação – cada um deve perceber como se inspira, como se energiza, o que o motiva. Para alguns, o ímpeto de seguir em frente vem do equilíbrio emocional, para outros de aspectos objetivos como prêmios.

Entender o que o motiva a ação – motivação! – é fundamental para a felicidade e o sucesso. Qual o significado maior que o impele a frente? Por que deseja fazer isso ou aquilo? Para quê? Ou, se preferir, para quem?

A questão central aqui é que se surgiu a oportunidade de assumir o lugar do chefe temporariamente, vai! Se der medo, vai com medo mesmo! O importante é não parar. Vai com tudo e procure fazer objetivamente o melhor!

colunista alexandre prado

Esta matéria ajudou você?

+ 23 pessoas ajudadas

Comentarios