Como escrever uma redação de sucesso no processo seletivo

Siga este passo a passo do que fazer e não fazer ao redigir um texto que será avaliado pelo recrutador
por
http://carreiras.empregos.com.br/

Atualmente, é comum que em alguma etapa do processo seletivo, os recrutadores peçam ao candidato para escrever uma redação. Às vezes, o tema é livre; em outras, eles especificam o assunto a ser tratado.

A finalidade desse exercício é avaliar a comunicação escrita, gramática, clareza de raciocínio, objetividade, capacidade de síntese e outras competências.

 

Leia também:
• 10 dicas para se destacar em uma dinâmica de grupo
• Teste psicológico: entenda sua utilidade no processo seletivo

 

ESTRUTURA

Geralmente, as redações de processos seletivos têm limite de 20 a 30 linhas. É importante que você obedeça essa regra. Divida o seu texto em três partes. Os professores de redação costumam chamar tais etapas de começo, meio e fim.

No começo, você deve introduzir o leitor ao assunto. Apresente a sua ideia e como ela tem importância a ponto de ser discutida.

No meio do texto, você deve defender a sua tese. Por exemplo, se está falando sobre o futuro da sua profissão e você acredita que o aperfeiçoamento profissional é a chave para o sucesso, é hora de mostrar que você tem embasamentos para acreditar nisso. Vale a pena citar escritores, jornalistas, filósofos ou casos reais – isso mostra o seu amplo conhecimento no assunto.

Por fim, conclua sua redação dando uma solução ao problema apresentado. No caso do exemplo acima, uma boa saída é relatar o que você está fazendo para acompanhar as tendências do mercado.

O QUE ESCREVER?

• Fale de assuntos profissionais, como a sua área, suas qualificações e o mercado de trabalho. Evite temas polêmicos, como política ou religião;

• Leia muito, pratique em casa. As pessoas que vão bem nesta etapa têm o costume de se informar bastante e acabam aprendendo expressões novas e a gramática correta com a leitura, além de obter bons conhecimentos que enriquecem o texto;

• Use linguagem simples. Não é porque você viu um sinônimo diferente, que você deve usá-lo apenas por ser rebuscado. Foque nas ideias e discorra sobre elas com palavras comuns;

• Faça pausas! Não deixe frases muito longas, sem vírgula ou ponto final. Se pretende adicionar qualquer informação sobre uma ideia já apresentada, pontue o seu texto.

O QUE NÃO ESCREVER?

• Não misture gírias ou expressões em inglês na sua redação. Eles não são formais e você corre o risco de se expressar de forma errada, ou se não ser claro para o recrutador, que pode não conhecer a palavra utilizada;

• Não fale mais de uma vez sobre a mesma coisa. Se já apresentou a sua ideia, elabore outros aspectos para tratar dela. Explicar demais deixa o texto cansativo e repetitivo;

• Evite metáforas como “murro em ponta de faca”. Elas funcionam bem em textos poéticos ou em romances, mas, para mostrar seu lado profissional, aposte na objetividade;

• Jamais repita a mesma palavra várias vezes na mesma frase para não deixar o texto muito cansativo. Use sinônimos!

GRAFOLOGIA

A empresa também pode pedir um teste de redação a fim de fazer uma análise grafológica, no qual o grafólogo avalia, por meio da escrita, a personalidade dos candidatos.

Aqui, o conteúdo não importa tanto, pois o que serão testados são os aspectos da escrita: inclinação das letras, distância entre as palavras, cuidado com pontuação, pressão do traço, dentre outros. O foco deve ser na boa caligrafia.


Leia mais:
• 15 dicas para fazer seu currículo ser lido pelo recrutador
• Série “Perguntas na entrevista de emprego” – As 29 questões que você precisa saber o que falar

Esta matéria ajudou você?

+ 478 pessoas ajudadas

Comentarios