21 / 10 / 2015

Como driblar a insegurança no primeiro emprego?

por
http://www.empregos.com.br

por Clarissa Janini

É muito comum sentirmos insegurança quando temos de enfrentar a experiência do primeiro emprego. Nessa hora é preciso não ter medo de errar, afinal o momento é um aprendizado e se soubermos retirar proveito ganharemos uma tremenda bagagem pessoal e profissional.

Ao mesmo tempo em que a inexperiência pode provocar vergonha de se expor, se você for uma pessoa ponderada saberá reverter a situação, ou seja, vai lembrar que está ali para aprender, portanto é preciso se expor sim.

Perguntar, questionar, estar a par de tudo que está ao seu alcance. Ser comunicativo, não deixar que nenhuma dúvida o acompanhe até o final do expediente. E para quem já ouviu brincadeiras de mau gosto (muito comum por sinal) dos mais velhos que não perdem uma oportunidade de lembrar da sua condição de “novato”, é bom ficar sabendo que essas pessoas ou são mal informadas ou estão fora de moda.

Hoje em dia, a empresa produtiva e competitiva trata os estagiários e recém-contratados como se fossem a menina de seus olhos. O investimento em treinamentos nesses perfis de empregados é hoje uma das armas das companhias para formar profissionais que futuramente exerçam postos de diretores e gerentes. Então, lembre-se, a sua vontade de aprender e seu interesse é o que vale. A insegurança e o medo não são nada interessantes aos olhos de seu chefe.

Para nos orientar melhor sobre esse momento delicado, conversamos com o professor Hélio Roberto Deliberador, coordenador da clínica de Psicologia da Pontifícia Unversidade Católica de São Paulo (PUC-SP):

Como o recém-empregado deve agir no ambiente de trabalho para sentir-se bem?
É preciso ser capaz de olhar, avaliar, participar e reconhecer o ambiente e as possibilidades de contribuição para que se torne um local melhor, até mesmo no sentido físico. Quem sabe talvez precise ser mais iluminado, mais arejado. É preciso observar muito e tentar descobrir como lidar de maneira amigável e prazerosa com os colegas de trabalho, e nunca esquecer de manter a humildade.

O que fazer para perder o medo e tomar decisões no novo trabalho?
Existe o que chamo de ” Um Deus” que protege os iniciantes, o próprio nome já diz, você começou agora e é necessário ser capaz de ter iniciativas e superar esse medo, poque é permitido errar. O erro é um acerto que ainda não aconteceu, se você souber compartilhar com os outros essa situação sem medo ou vergonha. Todos nós somos eternos aprendizes.

Qual a melhor atitude para conquistar o respeito dos novo amigos de trabalho?
Usar sempre a sabedoria e lembrar que dependemos de muitas coisas para estarmos bem. Nunca impor suas idéias sem querer ouvir os outros. Não ser autoritário e não fingir ter uma personalidade que não é a sua.

O que devemos fazer quando ainda não estamos seguros se realmente escolhemos e estamos trabalhando na carreira certa?
Devemos reunir o maior número de informações possíveis acerca das possibilidades existentes, dialogar com pessoas que convivem concretamente com estas realidades, olhar para a própria biografia e perceber quais das nossas habilidades mais gostamos. Receber ajuda de profissionais também é importante. Existem os orientadores que ajudam a nos conhecermos melhor. Para quem está em dúvida sobre o que realmente o satisfaz, é preciso descobrir nas mais variadas conjunturas do dia-a-dia.

Até que ponto devemos nos render às convenções sociais para nos darmos bem? Como devemos lidar com nosso defeitos – aceitando-os ou tentando modificá-los?
Fazendo os dois movimentos, pois a aceitação é muito importante. A capacidade de mudança também é muito importante para conseguir “melhorar” nosso defeitos e ampliar as virtudes. A possiblidade de mudança é algo muito humano desde que tenhamos os estilos adequados. Fazemos mudanças extremamente significativas na vida a qualquer tempo. Por exemplo, uma pessoa de 60 anos de idade é capaz de sentir e agir como um adolescente apaixonado. Frente a um contato afetivo abrir-se a esta circunstância, mudar e manter o que essencialmente tem dentro de si. Como já dizia Raul Seixas, somos uma metamorfose ambulante, nós somos nossas origens, e criamos novas características diante de novas pessoas e novas convenções.

O que é ser flexível no ambiente de trabalho?
É ser capaz de perceber os outros e perceber a situação, estar atento a tudo. É estar aberto e disposto a olhar, aprender, ver, escutar e dialogar.

Quando aparece um desafio no trabalho e não sabemos se vamos conseguir realizar, é melhor esperar termos mais experiência ou ir em frente sabendo que podemos errar?
Ir em frente, sabendo que o erro é a realização que está se preparando. Ninguém nasceu sabendo. Errar é a possiblidade de vir a acertar no momento seguinte, desde que a pessoa seja capaz de aprender com o erro e sempre compartilhar com quem possa ajudar a corrigi-lo. Nós somos seres socias e viver junto em organização é a condição humana que nos caracteriza como humanos.

 

Esta matéria ajudou você?

+ 138 pessoas ajudadas
Topicos:

Comentarios