23 / 10 / 2015

Caça aos Temporários

Embaladas pelo reaquecimento da economia, empresas antecipam contratações para suprir demanda de fim de ano. Você está preparado?
por
http://www.empregos.com.br

Por Rômulo Martins

O reaquecimento da economia motivou as organizações a contratarem trabalhadores temporários mais cedo este ano. Algumas começaram a recrutar em agosto. A causa da antecipação também é outra: as companhias correm velozmente para encontrar os melhores profissionais.

Ganham ainda mais tempo para treiná-los. Quem começou a contratar no início deste semestre está de olho na demanda para o Dia das Crianças.

São milhares de vagas nas indústrias e no comércio varejista, principalmente. Agora, as empresas miram os profissionais dispostos a suprir o movimento causado pelo Natal. A dica para quem está à procura de uma oportunidade é acessar o site da companhia e cadastrar-se no campo “trabalhe conosco”.

O banco de dados corporativo é o primeiro instrumento consultado pelos recrutadores na hora de buscar candidatos. Aproveite para investigar informações sobre a organização. Isso lhe será útil durante o processo de seleção. Vale também apresentar-se diretamente à empresa com o currículo em mãos, além de pesquisar as vagas temporárias disponíveis no site Empregos.

Perfil
Nem todas as companhias exigem experiência anterior na área. Grosso modo, pede-se idade acima de 18 anos, ensino médio completo e disponibilidade de horário. É preciso ter bastante força de vontade e disposição para suportar a rotina desgastante do comércio e da indústria nesta época. A recomendação é enfrentar as situações com bom humor. Bom relacionamento interpessoal e facilidade na comunicação são, da mesma maneira, competências fundamentais.

Processo de seleção
Elaine Rodrigues, responsável pelo departamento de recursos humanos da PBKIDS Brinquedos, revela o que os selecionadores mais observam nos candidatos. Cautela e bom senso são suas principais orientações. Preste atenção nas dicas:

  • No momento apropriado, demonstre que pesquisou informações sobre a empresa;
  • Use roupas discretas e bem passadas;
  • Cuidado com maquiagem carregada;
  • Perfume suave;
  • Unhas bem cuidadas. Utilize esmalte de cor discreta;
  • Não fale gírias;
  • Seja pontual;
  • Não minta. Os recrutadores são especialistas em descobrir mentiras;
  • Demonstre interesse pela vaga.

Agarre a primeira oportunidade
Na contratação temporária pede-se urgência na tomada de decisão. Não há muito tempo para uma análise detalhada, pois as vagas são preenchidas rapidamente. Elaine Saad, country manager da Right Management, sugere levantar as empresas de seu interesse, de preferência próximas à residência. “Fique com a primeira proposta caso a remuneração seja aceitável.”

Seja efetivado
Segundo Cleber Perfeito, gerente da Central Surf, 35% a 40% dos funcionários temporários são efetivados na loja que gerencia. Para tanto, é preciso destacar-se na função. Elaine Saad explica que normalmente o colaborador contratado após as festas de fim de ano tem desempenho superior ao de um efetivo. A recomendação é realizar o trabalho com excelência. Mesmo que não tenha condições de efetivar, a empresa servirá como referência ao profissional que busca oportunidades no mercado de trabalho.

Conheça seus direitos
O trabalhador temporário tem direito a:

  • Férias proporcionais aos meses trabalhados, calculadas com base no último salário, considerando mês completo 15 dias trabalhados ou mais, em caso de dispensa sem justa causa ou término do contrato;
  • Indenização proporcional aos meses trabalhados, calculada com base no último salário, considerando mês completo 15 dias trabalhados ou mais, em caso de dispensa sem justa causa, rescisão por justa causa ou fim do contrato.

Observação: as verbas devem ser pagas um dia após o término do contrato de trabalho, diferentemente do prazo de dez dias no caso de relação contratual por tempo indeterminado.

O trabalhador temporário não tem direito a:

  • 13º salário;
  • Aviso prévio;
  • Multa de 40% sobre o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Fonte: Thiago Naoki Fukunari, advogado e sócio do escritório Machado de Oliveira e Gattozzi Advogados Associados.

Esta matéria ajudou você?

Topicos:

Comentarios