27 / 10 / 2015

Síndrome da segunda-feira, saia dessa!

Quem nunca sentiu aquele frio na barriga no domingo à noite? Aquela sensação de que vai começar tudo outra vez, como se todos os problemas estivessem prestes a cair sobre você!
por
http://www.empregos.com.br

Yngrid Paixão – Empregos.com.br

 

Pois é, muitas vezes o domingo à noite é ainda pior que a segunda-feira pela manhã. Isso tudo são sintomas da “síndrome da segunda-feira”. Calma, não é uma doença, é apenas um mal estar que pode ser reversível. Existem coisas que você pode fazer para o peso da segunda-feira ser um pouco menor. Saiba como:

– Não leve para a semana seguinte os problemas que podem ser resolvidos naquela semana, assim quando a nova semana começar ela será mais tranquila. Logo no início dela, faça um planejamento para se sentir menos perdido e tudo ficara bem mais fácil.

– No domingo tente fazer exercícios e coisas relaxantes, vá ao parque, corra, pegue uma piscina, tome um sol. Verá como terá muito mais pique na próxima semana.

– Tome um café da manhã bem reforçado, coma carboidratos e cafeína, para dar disposição e energia. Escute uma música que te agrada durante o café.

– Calma, é normal que você se sinta um tanto quanto devagar na segunda-feira, portanto, não exija tanto de você no começo do dia, faça as coisas no seu tempo, sem querer atropelar o seu próprio ritmo. Tente acordar um pouco mais cedo, para não se atrasar. Mas nada de preguiça, a semana está só começando e você tem que ter energia para todo o resto dela.

– Pense nas coisas boas do seu emprego. Seus colegas, que você passa a maior parte do dia e que tem afinidade para contar sobre o fim de semana. Suas tarefas que muitas vezes apesar de estressante te distrai e faz com que as horas passem rápido. Coisas que te motivam.

Após pôr em prática essas dicas, verá que a segunda-feira não é tão apavorante assim. Além do que, você vai perceber que o seu domingo pode ser mais sereno só de saber que no dia seguinte tudo começa novamente, só que de uma forma bem mais tranquila.

Esta matéria ajudou você?

Topicos:

Comentarios

Os comentários estão desativados.