29 / 08 / 2012

Rosângela Casseano, psicóloga e especialista em programação neurolinguística

Aprenda a a influenciar a si próprio e a seus relacionamentos com os outros, e a ter o tipo de experiência de vida que você deseja
por
http://www.empregos.com.br

por Camila Micheletti

Você provavelmente já deve ter escutado esta expressão – programação neurolingüística – mas sabe exatamente o que ela significa e o que pode fazer pela sua vida pessoal e profissional? Quem responde com muita propriedade é Rosângela Casseano, Psicóloga, Psicoterapeuta Clínica, Hipnoterapeuta e Master em PNL: “A PNL nos ensina a pensar sobre soluções. Com ela, você pode aprender a influenciar a si próprio e a seus relacionamentos com os outros, e a ter o tipo de experiência de vida que você deseja”.

Os estudos de PNL começaram nos anos 70, com os norte-americanos Richard Bandler e John Grinder. Rosângela conta que eles utilizaram observações sobre a estrutura da linguagem, associando a ciência da informação e da computação à lingüística, dando assim origem à PNL. Estudaram o comportamento de pessoas bem-sucedidas, que demonstravam eficiência de desempenho e eram exemplos reconhecidos de sucesso. Essas observações, baseadas na modelagem de estratégias, resultaram na criação de técnicas que tornaram possível a qualquer pessoa alcançar esses objetivos.

Analisando a palavra neurolingüística: neuro vem do latim e quer dizer cérebro – porque a idéia dos pensamentos nasce da mente. E lingüística é a ciência da linguagem. Daí pode se-afirmar que “a programação neurolingüística é o processo de estudar o pensamento baseado em experiências anteriores. O que você viveu no passado vai construir a sua forma de pensar”, afirma Rosângela.

Em entrevista ao Empregos.com.br, a profissional fala sobre esta técnica, que já foi confundida com bruxaria, magia negra e xamanismo, mas já teve sua eficácia comprovada cientificamente há muitos anos. Rosângela, que começou a estudar a PNL em 1987, ministra cursos sobre o assunto em todo o Estado de São Paulo e vem se firmando como uma das profissionais mais experientes nesta área.

Confira a seguir como a PNL pode auxiliar quem está em busca de emprego, quais as áreas profissionais que mais se beneficiam e muito mais:

Empregos.com.br: A PNL parece ser uma coisa muito abstrata. Como você coloca esse conhecimento em lições?
Rosângela Casseano: Tem uma parte teórica e uma prática. Eu passo exercícios para que, passo-a-passo, você consiga entender como o cérebro funciona, qual é o seu jeito de pensar e como o outro pensa. O outro lado também é importante, e no curso você aprende a interpretar o que os outros estão pensando, através do processamento de informações que chegam até nós, mas não captamos normalmente. Você aprende a observar sem um olhar crítico. Não vai interpretar o comportamento do outro, vai entender como ele funciona – e usar isso a seu favor.

Empregos.com.br: Pessoas que não estiverem preparadas podem acabar não sabendo como usar essas novas informações que chegarem sobre si mesmo e os outros, não?
Rosângela Casseano: Sim, muitas pessoas me questionam isso, a crise que a PNL pode gerar. Já ouvi algumas pessoas se lamentando: “Descobri que minha vida é uma lástima” e coisas do tipo. Mas, para reverter este quadro, nós também apresentamos soluções ao longo do curso. A pessoa não sai desesperada pela rua sem saber o que fazer.

Empregos.com.br: Qual é o propósito do curso?
Rosângela Casseano: Mostrar para as pessoas que há um jeito de tornar a vida mais simples, mais fácil. Isso ocorre quando você passa a entender como o seu “eu” funciona. 90% dos pensares são inconscientes, mas você pode controlar os 10% restantes. Você aprende a ser mais tolerante, passa a ter uma forma de pensar mais equilibrada. Muda também aquela postura egocêntrica que algumas pessoas têm, de achar que o mundo todo está contra elas, que ninguém gosta delas, que nunca serão felizes… Você flexibiliza seu relacionamento e sua forma de pensar, o que não quer dizer que você fique bobo, ingênuo, pelo contrário.

Empregos.com.br: Por que aprender PNL? Que diferença ela pode fazer na vida do profissional?
Rosângela Casseano: Qualquer técnica de autoconhecimento é válida, e a PNL é uma delas. A partir do momento que você passa a se conhecer melhor, pode promover mudanças no seu comportamento e no das outras pessoas. Você percebe o que precisa ser mudado, e como fazer isso. No aspecto profissional, isso se torna muito importante porque as relações de trabalho são muito baseadas nas relações humanas. O bom relacionamento é a base de tudo, seja em casa ou no escritório. Você aprende a usar técnicas de conquista, no bom sentido.

Empregos.com.br: Mas essas técnicas também podem ser usadas para o mal, não é mesmo?
Rosângela Casseano: Sem dúvida que sim. Se eu descubro como é o jeito do outro funcionar, sei como fazer com que ele me ame. Pode ser usado para vender produtos, para fins políticos, entre outros. Vai da cabeça de cada um usar o conhecimento para o bem ou para o mal. Mas é preciso esclarecer que a PNL não tem nada de mágico: é tecnologia pura, assim como 1 + 1 = 2.

Empregos.com.br: Qualquer pessoa pode aprender as técnicas da programação neurolingüística?
Rosângela Casseano: Sim, qualquer pessoa que tenha pelo menos o primeiro grau completo e possa entender as minhas explicações pode participar. Tem algumas pessoas que vão captar a idéia mais rapidamente, outras vão demorar mais, talvez por serem mais rígidas, inflexíveis e não estarem abertas para a mudança.

Empregos.com.br: Eu preciso atualizar o conhecimento de PNL? Uma vez feito o curso, devo fazê-lo novamente após alguns anos?
Rosângela Casseano: Você pode até fazer um outro curso de PNL, mas que tenha um tema diferente, pode entrar num grupo de estudos, já que tentar se aprofundar mais no assunto nunca é demais. Mas não acho necessário voltar a fazer o mesmo curso, mesmo após alguns anos, a não ser que o instrutor/ professor do curso não esteja preparado para ensinar.

Empregos.com.br: Você pode citar áreas profissionais que mais se beneficiam da PNL?
Rosângela Casseano: De uma forma geral, todas as áreas se beneficiam, já que a PNL mexe sobretudo com relacionamento humano. Mas existem algumas profissões que vão tirar ainda mais proveito por lidarem diariamente com o público: são os vendedores, profissionais de Marketing e da área Comercial, professores, jornalistas e profissionais de RH. Enfim, todos os profissionais que dependem do “material humano” para trabalhar acabam aproveitando mais as dicas e técnicas de PNL no seu dia-a-dia. Mas, atualmente, o curso vem sendo muito procurado por técnicos e engenheiros, profissionais que sempre deram mais importância às competências técnicas, mas já perceberam que ser um bom colega de trabalho e um bom líder também ajuda muito.

Empregos.com.br: Como a PNL pode ajudar quem está em busca de emprego?
Rosângela Casseano: Você precisa, antes de mais nada, criar um pensamento positivo em relação à busca de emprego. Com isso em mente você pode programar o cérebro para que as coisas aconteçam da forma que você quer, e você consiga enfim o emprego desejado. Isso vai permitir que você transmita segurança e confiança para o entrevistador, comportamentos que são muito importantes neste momento. Você também pode fazer com que o selecionador goste de você, sempre usando as técnicas da PNL.

Empregos.com.br: Como fazer isso?
Rosângela Casseano: Você pode começar dando uma geral na sala do entrevistador, assim que entrar. Observe os quadros que ele tem na parede, objetos que ostenta na mesa, que tipo de roupa utiliza, como se comunica… Tudo isso pode ser usado a seu favor na entrevista. Por exemplo, se você viu que na mesa ele tem um bonequinho do Corinthians, dá pra saber que ele gosta de futebol. Você pode usar essa informação falando, em algum momento da entrevista, que gosta de futebol, joga nas horas vagas, gosta de esportes… Se ele tem uma sala impecável e se mostra muito limpo e organizado, isso mostra que ele é muito visual. Neste caso, você pode falar que gosta de organização, tem facilidade com metas e prazos, etc. Com respostas desse tipo você cria um feeling com o entrevistador. Mesmo que seja inconsciente, ele passa a gostar de você, cria-se um laço afetivo. E isso se reflete na avaliação que ele faz de você e, claro, na conquista da vaga. Não define a contratação, mas aumenta as chances de você conseguir o emprego.

Esta matéria ajudou você?

+ 1 pessoa ajudada
Topicos: Dicassucesso

Comentarios