03 / 10 / 2013

Outplacement, headhunting e afins: eles são mais simples do que você pode imaginar

Geralmente, os profissionais da área de Recursos Humanos acreditam que os termos “Headhunting”, “Outplacement” e “Coaching” e seus significados são já hoje largamente conhecidos de todos os profissionais de todas as outras áreas de atuação profissional.
por
http://www.empregos.com.br

por Laerte Leite Cordeiro*

Geralmente, os profissionais da área de Recursos Humanos acreditam que os termos “Headhunting”, “Outplacement” e “Coaching” e seus significados são já hoje largamente conhecidos de todos os profissionais de todas as outras áreas de atuação profissional.

Entretanto, em entrevistas que conduzimos na Laerte Cordeiro Consultores em Recursos Humanos, em nossos programas de pesquisas e nos contatos que temos mantido por força de nossa atividade de consultoria nessas áreas, temos percebido que ainda há uma grande confusão de entendimento sobre o que esses termos realmente abrangem e quais os seus objetivos e contribuição, às vezes até mesmo entre as pessoas de Recursos Humanos.

Antes de mais nada, é importante esclarecer que “Outplacement” e “Headhunting”, são ambas áreas profissionais de consultoria em recursos humanos externas às empresas, mas com propósitos diametralmente opostos. Enquanto que “Outplacement” se refere aos serviços de orientação e apoio especializado para que executivos demitidos possam encontrar alternativas profissionais na transição de suas carreiras, “Headhunting” (“Executive Search”) é um serviço especializado de identificação e indicação (Recrutamento e Seleção) de profissionais para ocupar cargos em aberto nas empresas.

Assim, o consultor profissional de “Outplacement” – que vamos apelidar de “Outplacer” – orienta, assessora, prepara, facilita e ajuda o executivo demitido pela empresa em sua busca por trabalho – emprego, consultoria, negócio próprio – ou de aposentadoria quando for o caso, enquanto que o “Headhunter” “caça”, no mercado, os profissionais que a empresa-cliente precisa admitir. Ambos os consultores trabalham para as empresas, pessoas jurídicas, mas em direções diferentes e com objetivos distintos.

Quando a empresa demite um executivo, mas quer ajudá-lo, chama o “Outplacer”. Quando, ao contrário, ela precisa contratar um executivo do mercado, chama um “Headhunter”. Há pequenas variações sobre o tema, mas vamos deixá-las de lado para não complicar a situação. Se sua empresa precisa de um “Outplacer” chama a Laerte Cordeiro e pronto!

Provavelmente, muito dessa confusão histórica se estabeleceu, através dos tempos, porque algumas empresas de consultoria de “Headhunting” (que sempre existiram), agregaram serviços de “Outplacement” aos seus menus profissionais, isso quando a inovação surgiu no fim dos anos 70 e começo dos anos 80. Hoje, cremos, as áreas de atuação estão mais claramente definidas, o que tende a melhorar o entendimento de todos, clientes e consultorias.

Quando tudo parecia a caminho do esclarecimento, eis que surge mais um pouco de confusão para nós mortais: aparece no cenário o “Coaching”, que trás consigo mais outros termos que passam a ser parte da cesta de serviços atuais em recursos humanos, como “Mentoring” e “Counseling”.

“Coaching” é uma relação entre alguém que quer e precisa crescer pessoal e profissionalmente encontrando soluções para os seus problemas – o cliente – e um facilitador treinado – o coach – cujo papel é levar o cliente a alcançar os seus objetivos de desenvolvimento. Pode ser realizado para apenas uma pessoa ou pode ser feito para um grupo de pessoas envolvidas com um propósito comum; pode ser conduzido pelo próprio superior imediato do cliente, por técnicos de RH da empresa ou por consultores externos.

O “Mentoring” refere-se a uma relação de duas pessoas, voltada para o desenvolvimento de uma delas: é o “padrinho”, funcionário competente e experimentado que se aplica ao crescimento funcional de um colega que precisa de sua ajuda. Bons exemplos seriam o “trainee” “adotado” por um padrinho e o funcionário recém-admitido que precisa se integrar às coisas da empresa. Finalmente, o “Counseling” está mais ligado à atividade terapêutica, na área da Psicoterapia, para ir mais fundo na problemática especifica de indivíduos e seu bem-estar e só deve ser conduzido por especialistas.

Para encerrar esta breve comunicação que busca ajudar a esclarecer, é importante estabelecer que “Headhunting”, “Outplacement”, “Coaching”, “Mentoring” e “Counseling” são ações de Recursos Humanos de alto significado para as empresas e para as pessoas, mas têm propósitos e processos bem distintos; todos, porém, são atuais e não podem ser desconhecidos dos profissionais que vivem em ambiente corporativo, principalmente do pessoal de Recursos Humanos.

* Laerte Leite Cordeiro é Presidente da Laerte Cordeiro Consultores em Recursos Humanos e especialista em Busca de Emprego do Empegos.com.br. Possui 20 anos de atuação como Consultor Sênior em Empregos e Carreiras. Economista com Mestrado em Administração e especialização em Recursos Humanos nas Universidades de Michigan State, Harvard e Stanford, Laerte é co-autor dos livros “Comportamento Humano na Empresa” e “Administração Geral e Relações Industriais na Empresa Brasileira”.

Esta matéria ajudou você?

+ 5 pessoas ajudadas

Comentarios