Dicas para se dar bem na entrevista

por
http://www.empregos.com.br

por Ana Maria Martins Caires*

Entrevista de seleção é algo que ainda causa pesadelos em muitos candidatos a emprego. Mas não é preciso se desesperar. Estar atento para as possíveis variáveis que possam interferir nessa fase é tão importante para o ingresso em um novo trabalho quanto a preparação do currículo ou a experiência profissional.

Para não incorrer em erros comuns nessa fase de seleção, preste atenção nas dicas abaixo:

  • aprender com as entrevistas anteriores – mas não deixe que uma experiência ruim interfira na sua atuação
  • estar em bom estado físico e psicológico
  • personalidade – analise suas características mais marcantes, tanto as positivas quanto as negativas, e encontre a melhor forma de equilibrá-las
  • identidade cultural – saiba valorizar sua cultura sem menosprezar a do entrevistador
  • expectativas – tente encontrar o melhor momento de expressá-las e controle-se para não parecer exagerado ou desmotivado

Veja algumas das posturas mais usuais apresentadas pelos candidatos durante uma entrevista:

  • Participante: sente-se à vontade para falar e reagir
  • Inibido: responde o mínimo do que lhe é perguntado
  • Treinado: responde antecipando-se às questões
  • Ingênuo: não sabe por que está sendo interrogado
  • Bloqueado: consciente ou inconscientemente censura suas respostas
  • Crítico: censura os defeitos da entrevista ou da situação
  • Arisco: responde como se estivesse sendo atacado
  • Pegajoso: busca a atenção do entrevistador
  • Subserviente: desculpa-se o tempo todo pelas inconveniências que podem ocorrer na entrevista
  • Inquiridor: questiona muito o entrevistador
  • Controlador: procura dirigir o questionamento do entrevistador
  • Irônico: responde agredindo o entrevistador de modo velado e sútil
  • Sedutor: preocupa-se em comprar o entrevistador

Qual das posturas acima é a mais propensa a conseguir a vaga? Sem dúvida é o candidato participante, que responde o que é perguntado mas também sabe questionar quando preciso, fazendo uso das experiências anteriores, conhecimento que adquiriu na véspera sobre a empresa e também conhecimento sobre si mesmo, que inclui saber o que ele quer para sua vida pessoal e profissional daqui para frente. Boa sorte… e sucesso!

* Ana Maria Martins Caires é psicóloga e analista de Recursos Humanos.

Esta matéria ajudou você?

+ 1 pessoa ajudada
Topicos:

Comentarios

Os comentários estão desativados.