Como escolher uma profissão?

Meu pai queria que eu fosse engenheiro. Minha mãe escolheu advocacia. Minha avó sonhava com Medicina. Escolhi Psicologia e durante o curso quase mudei para Publicidade e Propaganda. Esta história é real e acontece com a maioria dos jovens e até mesmo os adultos já estabilizados profissionalmente.
por
http://www.empregos.com.br

por Rogerio Martins*

Meu pai queria que eu fosse engenheiro. Minha mãe escolheu advocacia. Minha avó sonhava com Medicina. Escolhi Psicologia e durante o curso quase mudei para Publicidade e Propaganda. Esta história é real e acontece com a maioria dos jovens e até mesmo os adultos já estabilizados profissionalmente. A pergunta é: que profissão escolher? Afinal, ela o acompanhará para o resto da vida!

Até alguns anos atrás era relativamente mais fácil, pois o leque de possibilidades era bem menor; em contrapartida, estas poucas profissões poderiam não ser aquelas que fariam a felicidade de muitas pessoas. O mercado de trabalho atualmente é bastante profícuo no oferecimento de novas atividades, profissões e oportunidades. Isto tem duas leituras possíveis: quanto maior a amplitude, mais chance de se descobrir a “verdadeira vocação”.

Porém, paradoxalmente isto torna mais difícil escolher aquilo que tem a ver com sua personalidade, pois são tantas possibilidades que nem sempre aquela que tem mais a ver é a melhor remunerada ou que trará o status desejado.

Portanto, a escolha profissional não passa apenas por procurar aquilo que gosta, mas de um conjunto de fatores que um bom aconselhamento profissional e de carreira pode orientar na decisão. Veja alguns pontos que deve considerar na hora de definir ou incrementar sua carreira:

Visão de futuro

O primeiro passo é analisar o cenário econômico e as tendências de mercado, saber diferenciar as armadilhas das oportunidades. Há profissões que se sobressaem nos momentos de crise e há outras que se mantém estáveis em qualquer tempo com pequenas alterações, como a Engenharia. O mercado também vem trazendo novas perspectivas para antigas profissões em função da biotecnologia, do forte senso ambientalista, da globalização da economia e dos pactos regionais, da modernização da agropecuária, da expansão da informática e das novas relações de trabalho.

Escolher uma carreira somente por causa da remuneração é um tiro no pé! O mercado é bastante dinâmico e nos mostra que antigas profissões tidas como sucesso absoluto dez anos atrás hoje não gozam do mesmo prestígio e salário. Entretanto, profissões ligadas a comércio exterior, educação, saúde, diversão e turismo estão em fase de crescimento e podem se manter assim por muito tempo. Assim, uma pessoa que é formada em advocacia pode especializar-se em legislação internacional e mudar o rumo tradicional desta carreira. Isto pode ser aplicado em todas as profissões e já vem acontecendo com aqueles que perceberam esta significativa alteração no mundo dos negócios.

Além disso, o profissional moderno deve possuir um firme propósito empreendedor, mesmo que atue como empregado de uma pequena ou grande empresa. Este é um dos principais pré-requisitos para esta nova economia e fator decisivo para o sucesso profissional: empreendedorismo aliado a senso de oportunidade.

Autoconhecimento

Torna-se fundamental ter um forte conhecimento e percepção de si mesmo, suas competências e potencialidades. Para isto o acompanhamento profissional é imprescindível. Através de uma análise profunda, o psicólogo tem condições de avaliar os aspectos de personalidade mais favoráveis para determinadas atividades e traçar junto com a pessoa um plano de desenvolvimento daqueles menos favoráveis. Muitas falhas na escolha da carreira ocorrem porque se quer fazer algo que não possui habilidade ou vocação compatível e, com isso, perde-se um precioso tempo tentando ser o que não tem a ver com a pessoa.

Além disto é importante saber utilizar os conhecimentos e experiências adquiridas ao longo da vida a seu favor. Isto é o gerenciamento do know-how obtido. Cursos de formação e especialização, viagens, estágios, conhecimento de idiomas, tudo isso conta como bagagem pessoal que pode auxiliar na escolha ou mudança de uma profissão.

Com tudo isto na mão, a pessoa é capaz de fazer ajustes na escolha profissional e diminuir significativamente a possibilidade de decepção com a profissão eleita.

Definição de objetivos pessoais e profissionais

Este é um dos principais itens na hora de escolher uma carreira, uma profissão. De posse de seu perfil pessoal e da análise do mercado, este é o momento onde fará o cruzamento destas informações através de um plano de ações.

Algumas profissões exigem dedicação integral, outras requerem constantes tomadas de decisão, há também aquelas onde o relacionamento com outras pessoas é fator chave, e assim por diante. Qual destes perfis melhor se adapta às suas expectativas?

Para isto é necessário o entendimento e desenvolvimento do papel profissional e dos demais papéis da própria vida. Há pessoas que escolhem suas carreiras em função dos pais, parentes ou amigos e não compreendem muito bem a importância da escolha correta. Esta escolha pode influenciar toda sua vida e os demais papéis que desempenha no transcorrer dela (pai/mãe, chefe/subordinado, estudante/autônomo, sócio/proprietário, marido/esposa, amigo(a), etc.).

Gerenciar esta escolha é levar em consideração um planejamento dos objetivos pessoais e profissionais. Elabore este plano para os próximos dois, cinco, dez, quinze e vinte anos. Defina claramente os passos e as ações que tomará para atingir seu objetivo – seja uma viagem, um curso, um estágio, a compra de um bem material ou conhecer alguém influente na sua área. Entenda que este plano é flexível e poderá ser alterado a qualquer momento, mas tome-o como uma referência para guiá-lo rumo ao sucesso profissional e pessoal.

Fatores técnicos relevantes

Para concluir descrevo alguns itens técnicos que pode auxiliar na conquista de um emprego ou consolidação de uma carreira.
O primeiro é saber elaborar um currículo e uma carta de apresentação. Este é um dos pontos de maior dificuldade da maioria das pessoas: como expressar sua vida, experiências e objetivos através do currículo? Há regras e formas para se fazer um currículo correto e novamente um profissional especializado neste assunto é que poderá auxiliar; pois como o nome diz esta é uma carta de apresentação pessoal, única.

Para participar de entrevistas e processos seletivos é essencial estar bem preparado fisicamente, emocionalmente e mentalmente. Lembro-me que quando participei de uma entrevista para atuar como professor universitário em uma faculdade de São Paulo quase perdi a vaga em uma fração de segundo. Na época o coordenador perguntou sobre a minha disponibilidade de horários e comentei que tinha um compromisso todas as terças e quartas-feiras. Ele respondeu que era exatamente os dias que estavam em aberto para lecionar naquela instituição. Por um instante pensei: “perdi a vaga!” Ele já se levantava para concluir ao que me virei e disse: “está bem, eu consigo alterar o outro compromisso e fico com a vaga”. Naquele momento foi importante definir o que era prioritário. Para isto o fator emocional da frustração de perder a vaga foi contornado por um firme propósito de conquistar aquela oportunidade.

Por fim, depois que cumpriu todas as etapas anteriores é hora de praticar seunetworking, ou seja, usar sua rede de relacionamentos. Converse com amigos, professores, parentes e profissionais sobre as escolham que eles fizeram e suas intenções. Colha informações, mas também informe o que pretende. Assim eles poderão atuar como seu aliado na orientação e busca por uma profissão. Sucesso!

* Rogerio Martins é Psicólogo, Professor Universitário, Consultor e Palestrante sobre comportamento e motivação humana e Diretor da Persona Consultoria & Eventos.

Esta matéria ajudou você?

+ 5 pessoas ajudadas

Comentarios