26 / 10 / 2015

Saiba como as empresas usam as redes sociais para recrutar

Aspectos negativos nos perfis seriam suficientes para desclassificar um candidato no processo seletivo, mostra pesquisa.
por
http://www.empregos.com.br

A tendência de recrutar utilizando as redes sociais é forte nos Estados Unidos. Um em cada cinco recrutadores que usam as redes para encontrar talentos acessa o perfil do candidato ao contratar, revela pesquisa da Jobvite, empresa de recrutamento norte-americana.

Segundo especialistas, o Brasil segue o mesmo passo. “Essa tendência também é uma realidade brasileira”, atesta Fabiano Kawano, gerente da divisão de Engenharia da Robert Half, empresa de recrutamento especializado.saibacomoasempresasusamredessociaispararecrutar

Segundo Kawano, os recrutadores acessam as redes profissionais do candidato para identificar de forma mais ágil os cargos e as empresas nas quais ele trabalhou. “Já nas redes focadas em relacionamento não profissional é possível verificar aspectos do perfil pessoal do candidato.”

Para Fábia Barros, gerente de projetos da Across, consultoria de desenvolvimento organizacional com foco em gestão de pessoas, as mídias sociais tornaram horizontal a relação entre empresas e profissionais. “A triagem de currículos por meio das redes sociais é cada vez mais comum”, destaca.

Mas há que se tomar cuidado com o que se diz no universo on-line, advertem os especialistas. Pesquisa da Robert Half mostra que para 44% dos recrutadores aspectos negativos nas redes sociais seriam suficientes para desclassificar um candidato no processo de seleção. Estudo da Jobvite aponta que um em cada três empregadores elimina candidatos com base no que eles publicam nas redes sociais.

Fábia avisa que os equívocos cometidos no ambiente digital são razões suficientes para que o profissional avalie se o seu perfil está de acordo com a etiqueta social on-line. “O recrutador quer saber como o profissional se comporta e se articula nas redes sociais. Afinal, o universo digital oferece informações a respeito de um possível representante da empresa.”

Outros dados
Levantamento da Jobvite, que ouviu mais de 800 recrutadores norte-americanos, revela outras informações em relação ao uso das redes sociais para recrutamento. Segundo o estudo, 89% diz que vai usar as redes sociais para recrutar este ano, 64% utiliza duas ou mais redes para selecionar candidatos, 65% afirma que obteve sucesso ao contratar por meio das redes e 56% disse que acessou o perfil de potenciais candidatos no ambiente on-line.

Em relação ao tipo de plataforma digital utilizada para encontrar talentos, 45% usa o Twitter, 80% Linkedin e 50% Facebook. Ainda de acordo com a Jobvite, em 2010, 92% dos recrutadores tinham perfil nas redes sociais: 86% no Linkedin, 60% no Facebook e 50% no Twitter.

Mais: 55% diz que planeja investir mais no recrutamento por meio das mídias sociais este ano e 86% recomenda que os profissionais crie vínculos nas redes com potenciais empregadores.

Segundo Fábia Barros, da Across, o profissional que opta por não ter perfil no ambiente digital certamente está em desvantagem em relação aos concorrentes. “Não ser encontrado na internet, um dos meios mais utilizados hoje pelas empresas, é uma maneira de o profissional não ter a sua vida vasculhada. Por outro lado, ele não terá nenhuma notoriedade na principal plataforma de networking da atualidade.”

Fabiano Kawano, da Robert Half, concorda. “A não participação em redes de relacionamento profissional impede o profissional de ser visto em uma ferramenta utilizada por milhões de pessoas no mundo. Consequentemente, ele pode perder oportunidades interessantes por falta de exposição.”

Esta matéria ajudou você?

+ 45 pessoas ajudadas
Topicos:

Comentarios