A procura do candidato ideal para suas vagas em aberto? Anuncie no Empregos.com.br[close]

Para sua Carreira.

Orientação e dicas para você atingir seus objetivos.



No ritmo do jeitinho estrangeiro

por Juliana Falcão

Na semana passada, o Empregos.com.br forneceu uma série de dicas para o profissional estrangeiro que vem ao Brasil a trabalho e precisa se adaptar aos costumes do país. E o brasileiro?

O que deve fazer para transformar sua chegada e sua adaptação a um país diferente num momento de pura conquista profissional?

Veja as orientações de Maria Luíza Nunes, consultora de etiqueta empresarial:

  • Impontualidade para o estrangeiro é falta de respeito. No trabalho, há horário de entrada e de saída. Por isso, brasileiro, muito cuidado. Não pense que, se chegar atrasado, poderá resolver compensando no final do dia!
  • Essa mesma pontualidade estende-se aos almoços, jantares de negócios e também às festas sociais. Lá não são aceitas desculpas como "o trânsito estava complicado". Portanto, nada de chegar duas horas depois do combinado. Tudo tem hora para começar e para acabar.
  • Faz parte da cultura brasileira cumprimentar as pessoas com beijos no rosto ou com um aperto de mão. Em alguns países, como Estadoa Unidoa, por exemplo, isso não é muito comum. "As pessoas dizem apenas 'oi' ou 'bom dia'. Se alguém lhe estender a mão, retribua, caso contrário, faça apenas um cumprimento verbal", ensina Maria Luíza.
  • Nos Estados Unidos, as contas são pagas pelo correio ou com cheques. Por isso, os brasileiros estão livres das filas de banco.
  • Se você não conhece o trânsito no exterior, saiba que é bem diferente do nosso. Enquanto no Brasil os americanos se assustam com as infrações e com motoqueiros que cruzam sua frente a todo instante, no exterior as punições e as leis de trânsito são bem mais rigorosas. Por isso, se você é um "barbeiro:, comece a melhorar seus costumes!
  • Os celulares são usados só em casos de emergência. Nada parecido com o nosso hábito, que é o de usar o telefone móvel para bater papo. Se quiser matar as saudades, ou o tempo, espere até chegar em casa ou procure um telefone público.
  • No Brasil, cumprimos hora de almoço e fazemos intervalos para tomar cafezinho e fumar cigarros. Lá as coisas não são bem assim. Alguns estrangeiros preferem comer um lanche na mesa do escritório do que sair uma hora mais tarde por causa do almoço. "Isso acontece porque lá não existe 'amanhã' ou 'depois'. Os americanos, por exemplo, vivem em função do agora. Além disso, muitos não têm empregadas e as tarefas diárias são divididas entre os membros da casa", explica a consultora.
  • É obrigatório aprender a falar fluentemente o inglês. Aqui no Brasil, os estrangeiros não possuem essa preocupação, pois sempre existem colegas que falam a língua. Mas lá nos Estados Unidos, a maioria não fala português. Por isso, comece a treinar!

Quando viajamos para fora do país em busca de diversão, geralmente não nos preocupamos com a adaptação. Mas quando o assunto é trabalho, seu desempenho profissional e sua imagem estão em jogo.

Portanto é preciso se preocupar com os costumes de cada país. Isso mostra que seus interesses não estão ligados apenas ao lucro pessoal, mas também ao aprendizado e ao enriquecimento cultural.

Leia mais:
No ritmo do jeitinho brasileiro