A procura do candidato ideal para suas vagas em aberto? Anuncie no Empregos.com.br[close]

Para sua Carreira.

Orientação e dicas para você atingir seus objetivos.



Fusão sem mistérios

Estudo revela que o mapeamento cultural é essencial para o sucesso de uma fusão de empresas

por Renata Marucci

Scott Anderson e Jason Jarros, consultores da William Mercer, realizaram um estudo que revela a "auditoria cultural" como tão ou mais importante quanto a financeira para o sucesso de uma fusão internacional. Isto quer dizer que quando duas empresas se unem, um bom processo de comunicação é essencial para que a integração seja positiva e a fusão não resulte em algo desastroso.

A pesquisa demonstrou que o processo de comunicação é um dos principais fatores para o sucesso ou fracasso de uma fusão entre grandes corporações. A maneira como a comunicação é conduzida antes, durante e depois da fusão é fundamental para que haja integração de toda a equipe na nova organização.

Isso porque, quando as empresas realizam fusões e aquisições, precisam fundir mais do que negócios, precisam fundir culturas. "Mais importante do que fazer com que a cultura B se adapte à cultura A ou vice-versa, é fazer com que a junção das culturas A e B forme a cultura C", exemplifica Paulo Paixão, líder da área de Comunicação Estratégica da William Mercer para o Brasil.

A "auditoria cultural" deve ser realizada por alguém alheio às duas culturas, para que possam ser detectadas de forma isenta todas as características de cada uma das empresas. Segundo Paulo Paixão, o mapeamento cultural deve abordar desde aspectos simples como a "política do cafezinho" até programas de remuneração. Depois de diagnosticados todos os processos cotidianos das empresas, é necessário iniciar um processo de comunicação claro e transparente, que transmita segurança aos funcionários. É preciso adaptar o discurso a cada público.

"Os executivos das empresas devem perceber a importância da unificação cultural e deixar de enxergar a mídia como único meio de comunicação necessário. É essencial nvestir em comunicação interna para atingir o principal público no momento de uma fusão: os funcionários", aconselha Paulo. O profissional dá o recado: "gerencie as expectativas e lembre-se que toda fusão é um momento de transição lógica envolvido por uma transição muito maior: a emocional".


Confira aqui dez dicas para o sucesso de uma fusão!

1ª - Utilize regras próprias de comunicação. Por exemplo, nos EUA, os funcionários esperam uma comunicação aberta e objetiva, principalmente em tempo de mudanças. Já em outros países, funcionários e gerência podem não estar acostumados a essa troca aberta de informações. Assim, assegure-se de avaliar o grau de expectativas em cada país e seja generoso caso não consiga utilizar suas regras como de costume.

2ª - Conheça todos os seus públicos. Pesquise em detalhes todos os seus públicos. Isso inclui sindicatos, moradores das regiões afetadas, os próprios funcionários, governo, entre outros.

3ª - Espere alguns problemas. O imprevisto acontece até em uma fusão monocultural. Em fusões internacionais, tenha cuidado também com problemas de tecnologia, linguagem e fusos horários.

4ª - Nomeie "intérpretes culturais" das duas empresas. Identifique funcionários das duas empresas que possam atuar como seu conselho editorial à medida que você tome decisões sobre a comunicação e prepare materiais de informação. Eles podem alertá-lo sobre tabus culturais e também sobre assuntos sensíveis em suas empresas.

5ª - Não traduza, adapte. Mesmo nas melhores condições, a tradução de um idioma para outro pode ser inexata. Foque em adaptações que tenham conteúdo semelhante, mas com apelo aos problemas dos públicos locais. Levando-se em consideração a natureza crítica de uma fusão, más interpretações lingüísticas podem ter um grande impacto nos resultados do futuro negócio.

6ª - Identifique bloqueadores com antecedência. Em muitas situações, a existência de uma pessoa que bloqueia o progresso pode levar ao retardamento da operação. Em uma fusão de processo rápido, um gerente que não esteja totalmente engajado poderá até destruir todo o processo. Faça reuniões antecipadas para identificar quaisquer tipos de relutância. Aplique então a regra 70/100, ou seja, se eles estiverem 70% confortáveis com a fusão, peça a eles 100% de apoio antes de seguir em frente.

7ª - Não subestime o poder da cultura corporativa. Quando duas empresas de diferentes países passam por processo de fusão, a cultura nacional amplifica as características da cultura interna da empresa. Faça com que os funcionários do alto escalão articulem claramente o que querem e como irão administrar aqueles que se escondem atrás do conceito "nossa maneira" em vez de abraçarem o conceito "o que é o melhor para o cliente ou negócio".

8ª - Destaque as semelhanças. Os parceiros de uma fusão têm personalidades distintas e os funcionários costumam concentrar suas energias para se preocupar com a possibilidade de suas práticas favoritas mudarem. Entretanto, muitos parceiros de fusão possuem também semelhanças. Isso é verdadeiro também para fusões de culturas diferentes.

9ª - Planeje o improviso. Saiba com antecedência se você precisará improvisar e, dessa forma, se o gerenciamento do seu projeto precisará ser mais apertado do que de costume. Para as emergências e improvisações, tenha os números de telefone e faxes residenciais e endereços de e-mail de pessoas-chave .

10ª - Pense 24 horas à frente. Você enfrentará com grande freqüência os problemas criados pelo trabalho de equipe cujos membros se encontram distantes. Enquanto você estiver desfrutando um merecido descanso, seus colegas poderão estar coletando as informações que você necessita, fornecendo atualizações via e-mail que o ajudarão a mudar seus planos no outro dia, revisando rascunhos ou preparando adaptações para as culturas locais.