A procura do candidato ideal para suas vagas em aberto? Anuncie no Empregos.com.br[close]

Para sua Carreira.

Orientação e dicas para você atingir seus objetivos.



Uma empresa a caminho do sucesso
por Laerte Leite Cordeiro*

Existem muitas maneiras de se avaliar uma empresa para saber se ela caminha para o sucesso, para a estagnação ou para a derrocada. Pode-se avaliar sua estratégia e atuação mercadológica, sua competência técnico-produtiva, sua vivacidade econômico-financeira e sua capacidade de gestão através dos sistemas mais tecnologicamente avançados. Pode ou não estar no mercado certo, no local certo, na hora certa. Pode ter mais ou menos capital e produtos ou serviços de maior ou menor satisfação para os seus clientes.

Pesquisas e escritos de muitos autores – McGregor, Bennis, Beckhard, Schein, Homans e Drucker, entre tantos – nos ensinam que mais importante do que tudo isso, porém, é o clima organizacional a chave do sucesso, que pode transformar derrotas em vitórias, tristezas em alegrias, fraquezas em fortalezas, tirando a empresa da modorra ou do buraco e fazendo a diferença. Quando as pessoas na organização jogam para o time, acreditam na sua qualidade e unidas buscam o sucesso, não há quem segure!

Mas como saber quando uma empresa já atingiu esse estágio de desenvolvimento organizacional e humano capaz de lhe assegurar a tranqüila caminhada na direção do êxito e da superação? Confira a seguir 18 pontos que devem ser observados:

1. Quando a filosofia, as políticas e os objetivos e metas da empresa forem compartilhados pelas pessoas que nela trabalham, criando um fluxo de energia contínuo e forte, dirigido para o sucesso.

2. Quando, na organização, não existir preocupação exagerada com a manutenção de status ou poder pelas pessoas que nela trabalham. A administração pode ser construtivamente criticada em suas decisões e tolera-se bem a conduta não conformista.

3. Quando existir, na administração, uma clara compatibilidade entre autoridade delegada e a responsabilidade cobrada.

4. Quando o poder decisório esteiver baseado na competência decisória e não apenas na hierarquia formal.

5. Quando a colaboração for oferecida, sem precisar ser cobrada. A concorrência interna é ética e voltada para os interesses da empresa e não das pessoas.

6. Quando ao surgir uma crise todo mundo corra para ajudar, sem ter que ser convocado.

7. Quando os conflitos sejam vistos como fatos normais do dia-a-dia das organizações e se lide com eles de forma frontal e aberta.

8. Quando haja muito aprendizado em serviço, baseado na vontade de ajudar e de aprender sem medo.

9. Quando a crítica construtiva for aceita pelas pessoas de forma rotineira e madura.

10. Quando as pessoas na organização apoiarem-se umas às outras e não se sentirem solitárias no ambiente de trabalho.

11. Quando as pessoas forem “ligadas” no trabalho e na empresa, sem necessidade de pressão e cobrança hierárquica.

12. Quando existir, na organização, um clima de confiança, liberdade e responsabilidade coletiva pela Empresa.

13. Quando o risco, no trabalho, for visto como condição natural de desenvolvimento e mudança.

14. Quando o desempenho medíocre for discutido abertamente com as pessoas e uma solução conjunta for buscada. Pode-se aprender errando, sem punição.

15. Quando os processo organizacionais existirem para trazer eficiência e eficácia à organização e não para dar serviço a burocratas.

16. Quando existir muito interesse na inovação e métodos antigos possam ser substituídos por outros mais atuais, sem confusão ou ameaças às pessoas.

17. Quando, na medida em que todos na organização estiverem atentos para o presente e olhando para o futuro, a empresa puder reagir rápido e aproveitar novas oportunidades de mercado.

18. Quando, na hora em que as coisas não vão bem, ao invés de se buscar culpados ou crucificar alguém, diz-se que o problema “é nosso”!

Seria talvez um pouco ambicioso demais se imaginar uma empresa que já tenha alcançado este grau de maturidade e modernidade organizacional e pudesse exibir uma nota alta em todos os quesitos e condições apresentados. O importante para o “Management” de cada organização é atentar para o conjunto e refletir com atenção, definindo onde sua empresa atualmente se situa. Se a conclusão for a de que as distâncias a percorrer ainda são muito grandes, cuidado, porque sua empresa pode não chegar lá e é preciso fazer alguma coisa, rápido. Se por outro lado, as condições mencionadas neste artigo já fazem parte do ambiente organizacional atual de sua empresa, que bom, é deitar e rolar!

* Laerte Cordeiro é especialista em Busca de Emprego do Empregos.com.br e Consultor Sênior de Empregos e Carreiras de Executivos e Profissionais.