Para sua Carreira.

Orientação e dicas para você atingir seus objetivos.



Procurando emprego? Faça uma busca de vagas no maior site de Empregos do Brasil[close]
Com que cor eu vou?
Cores e acessórios ajudam a traçar o estilo de um profissional. Veja o que você pode usar e o que deve evitar

Por Clarissa Janini

Tão importante quanto o modelo da roupa que você está usando são as cores das peças. Elas têm o poder de revelar (ou ocultar) traços do estilo e da personalidade de cada pessoa. Um traje simples pode ganhar destaque se tiver um tom forte e chamativo. No ambiente profissional, o cuidado com o uso das cores é redobrado. A não ser que você seja autônomo, a vestimenta deve se encaixar nos padrões do lugar e das pessoas que lhe cercam. Para isso, existem algumas dicas para trajar-se adequadamente sem perder seu estilo próprio.

“Antes de mais nada, a pessoa precisa estar vestida de acordo com a função e com o local de trabalho”, diz a personal stylist Sabina Donadelli. “Para ambientes formais, cores clássicas como azul-marinho, bege, café, preto e cinza sempre caem bem”. Ela ainda afirma que o funcionário deve se espelhar nos superiores, mas sem querer vestir-se exatamente como eles. “Se fizermos uma escala de cargos e a pessoa for nível três, deve usar roupas que correspondam a essa hierarquia”.

A consultora de etiqueta empresarial Célia Leão, autora de Boas Maneiras de A a Z (Editora Loyola) e colaboradora da revista Você S/A, diz que o tom de pele é um importante referencial na hora da escolha das cores. “Pessoas com pele mais amarelada, por exemplo, devem evitar tons pálidos. Já quem é mais rosado fica bem com tons pastel”. Para saber se a cor da roupa se adapta a seu tipo, Célia recomenda a auto-experimentação. “Nem sempre a cor da moda combina com você. Olhar-se no espelho é a melhor maneira de saber se o visual lhe cai bem ou não”.

Sob o olhar do recrutador
E como os selecionadores avaliam as cores na hora da entrevista de emprego? Carla Zeitune, superintendente de recursos humanos da Indiana Seguros, trabalha com seleção de candidatos e diz que muitas vezes a pessoa comparece à entrevista com trajes sóbrios e, após ser contratada, começa a vestir-se mais despojadamente. “Deve-se tomar mais cuidado com as roupas na entrevista, mas a pessoa deve passar a mesma imagem depois de contratada”. Ela conta que uma colega, após a entrevista de emprego, passou a usar cores mais chamativas no dia-a-dia do trabalho. Como o visual destoava do ambiente, os superiores foram obrigados a chamá-la para conversar sobre o assunto.

Chamar a atenção de funcionários por causa de aparência inadequada é uma situação embaraçosa, mas que pode ser evitada com doses certas de bom senso. “Tivemos uma funcionária do atendimento ao cliente que havia pintado o cabelo de pink. Não encontramos outra saída a não ser chamar a atenção da moça”, diz Mônica Maciel, gerente de marketing do Botafogo Praia Shopping. Para ela, o funcionário deve seguir o perfil da empresa e estar coerente a ele.

Homens no provador
Engana-se quem pensa que a tarefa de vestir-se bem é árdua apenas para as mulheres. Homens também devem estar atentos a algumas dicas para não escorregar no bom gosto. “Um detalhe que, para mim, é capaz de revelar o bom gosto do homem é o sapato. O modelo, o solado, o material, tudo são indícios do estilo da pessoa”, diz Célia. Segundo a consultora, a cor do calçado e do cinto deve ser a mesma, sempre. Já sobre a cor da roupa, ela diz que a camisa branca ainda é infalível e, se o homem quiser ousar, que seja no tom da gravata.

Os erros mais comuns cometidos pelo sexo masculino, segundo Carla Zeitune, são em relação à barba, que deve estar sempre aparada, e às cores destoantes da meia e do sapato, que devem ser as mesmas. Já Sabina afirma que, apesar de muitos ainda usarem o acessório, o prendedor de gravatas é totalmente “over”, ultrapassado. Ela também diz que outro fator relevante na hora da compra de um terno, além do modelo e da cor, é o tecido, que deve se adequar ao cargo exercido pelo profissional.

Acessórios e maquiagem
Pequenos detalhes podem se tornar protagonistas de um visual exagerado caso a pessoa erre na dosagem das cores. Confira algumas dicas das especialistas:

Maquiagem: use sempre cores clássicas, não importa a roupa.
Esmalte: não deve ser muito escuro e estar presente apenas nas mãos.
Sapatos: use somente os fechados, deixe as sandálias para momentos de lazer; a cor do visual não deve ser focada neles, que devem estar de acordo com o resto da roupa.
Dica: de acordo com Sabina, para saber o tom de branco das camisas é preciso verificar seus dentes. Isso mesmo: “se a pessoa tem dentes claros, pode usar camisas mais brancas. Já se os dentes estão amarelados, é mais aconselhável que use nos tons de chá”.